Foto: Marina Silva/Correio

Desmonte do Centro de Convenções vai custar caro e será de “altíssimo risco”

Representantes de 16 empresas saíram pelo portão 3 do Centro de Convenções da Bahia (CCB) na tarde de segunda-feira (17). A visita técnica foi a primeira iniciativa para definir quem ficará responsável para ajeitar a área de 9 mil metros quadrados que desmoronou dois pavimentos na noite do dia 23 de setembro, deixando três pessoas feridas.

Os engenheiros e diretores das próprias construtoras sabem que o vencedor da licitação irá realizar uma operação de alto custo e arriscada para desmontar as estruturas metálicas e demolir as de concreto.

Para o diretor da JO.X Montagem e Desmontagem, empresa paulista, Mário César Policarpo, “será preciso elaborar um mapa de segurança. Somente depois um plano de desmontagem. É um trabalho de altíssimo risco”.

As 16 empresas têm até quarta-feira para apresentar suas propostas, no prédio da Governadoria, no CAB. A operação de retirada dos escombros será realizada em duas etapas, segundo o governo: a primeira é a perícia, orientada pelo Corpo de Bombeiros e Polícia Técnica; a segunda será a retirada dos materiais e das estruturas que foram comprometidas.

O desmonte e demolição do restante da estrutura devem ocorrer depois de outro processo licitatório ainda sem prazo.

Por Click Notícias / Inf. Correio 24h

Comentário

commentários