Foto reprodução

PepsiCo pretende reduzir em 40% quantidade de açúcar em refrigerantes

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou nesta terça-feira (11), Dia Mundial do Combate à Obesidade, que os governos de todo o mundo aumentem os impostos de bebidas açucaradas, a exemplo de refrigerantes e isotônicos. O objetivo da OMS é reduzir o sobrepeso e os índices de diabetes tipo 2, considerados epidêmicos no mundo. A entidade afirmou que, caso o preço das bebidas adocicadas aumentem em 20% por meio de taxação, haverá uma queda proporcional no consumo. De acordo com a OMS, há evidências de que impostos e subsídios influenciam no comportamento de compra da população.

“Estamos agora num lugar onde podemos dizer que há evidências suficientes e que encorajamos países a implementar políticas de taxação efetivas”, afirmou o coordenador do Departamento de Doenças Não-Comunicáveis e Promoção da Saúde na OMS, Temo Waqanivalu. Entre 1980 e 2014, a obesidade mais que dobrou no mundo. Atualmente, 11% dos homens e 15% das mulheres de todo o planeta são obesos, ou seja, mais de 500 milhões de pessoas. Estima-se ainda que 42 milhões de crianças menores de cinco anos apresentavam sobrepeso em 2015.

Comentário

commentários