Data de Hoje
8 December 2021

Edilson abandona casa em Guarajuba e vizinhos reclamam de piscina suja

Mesmo com as ameaças das novas doenças (Chikungunya e Zika Vírus), além da Dengue, todas transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, muitas pessoas insistem em ignorar os riscos de proliferação do mosquito e não tomam cuidados necessários. Segundo moradores e a administração do Condomínio Paraíso, em Guarajuba, no município de Camaçari, Região Metropolitana de Salvador (RMS), dezenas de casas estão abandonadas e com piscinas com água suja. Entre as residências, a casa do ex-jogador Edilson “Capetinha”, que segundo um dos vizinhos, está abandonada desde o final de 2014.

 

003

Segundo um dos vizinhos de Edilson, que não quis ser identificado, a casa pertencia a ex-mulher do jogador, que após uma ação judicial desocupou o imóvel, localizado na Rua Aratuba, setor G, do Condomínio Paraíso. O ‘capetinha’ teria utilizado residência algumas vezes e ainda no início desse ano abandonou definitivamente, deixando o irmão Eliomar como responsável. Os moradores relataram à reportagem que Eliomar não deu atenção às reclamações e eles tiveram que recorrer à prefeitura de Camaçari, mas a situação não foi resolvida. “Nós estamos com medo de infestação de mosquitos com as condições da piscina”, desabafa um dos vizinhos que também não quis ser identificado.

 

A administração do condomínio informou à reportagem do Bocão News que além da casa de Edilson ‘Capetinha’, dezenas de outros imóveis se encontram na mesma condição de abandono e a maioria com piscinas sujas. A gestão do Paraíso informou também que realiza um trabalho de conscientização aos moradores sobre a importância de manter os imóveis limpos e conservados, além de disponibilizar produtos e a despoluição das piscinas abandonadas. Com essa iniciativa, amenizaria os riscos de infestação do mosquito transmissor das doenças.

Além do abandono, a administração do condomínio informou à reportagem, que tanto a casa do ex-jogador Edilson, quanto a maioria dos imóveis abandonados estão inadimplentes com as taxas de condomínio, que custa R$ 550. O imóvel está registrado no condomínio em nome de Edilson, mas o nome para contatos é de um homem que não teve o nome revelado, que segundo a administração, não atende as ligações

Ainda segundo a administração do condomínio, os motivos do abandono dos imóveis são variados, mas o maior entre eles é a baixa estação, que após o Verão muitos moradores se ausentam e não dão continuidade aos cuidados e obrigações com o imóvel e o próprio condomínio.

A reportagem tentou contato com ex-jogador Edilson, mas não teve as ligações atendidas ou retornadas até a publicação desta matéria.

 

 

Facebook Comments