Data de Hoje
28 July 2021
Foto divulgação

Ação conjunta apreende drogas, armas e dois carregadores de submetralhadora em Pirajá

Vinte e cinco tabletes de maconha prensada, um pacote com pasta base e outro com 50 pinos de cocaína, cinco pacotes com crack, uma espingarda calibre 12, uma pistola 9mm, dezenas de munições diversas, anotações do tráfico e dois carregadores de submetralhadora. O material foi apresentado à imprensa, na tarde desta quinta-feira (16), pelo delegado Nilton Tormes, titular da 4ª Delegacia Territorial (DT/São Caetano).

  A apreensão é resultado de uma ação deflagrada na manhã de hoje pela 4ª DT, o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e a 9ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), que identificaram um imóvel em Osório, Campinas de Pirajá, que estaria sendo usado para planejar um assalto a banco. Homens, que estavam no local, reagiram à chegada dos policiais e houve revide. Eles conseguiram fugir, deixando drogas e armas.

O delegado Nilton Tormes disse que a ação foi um desdobramento das prisões, feitas por suas equipes, na sexta-feira (10), do traficante Marílio dos Santos, de 28 anos, do assaltante de bancos José Cláudio Mota dos Santos, o “Dinho Caixa-Forte”, 42, e de Paulo Sérgio Conceição Ferreira, o “Júnior”, 20. O primeiro é lider do tráfico em São Sebastião do Passé. Segundo ele, todos integram uma organização criminosa que controla o tráfico nas áreas de Marechal Rondon, Osório, Alto do Cabrito, adjacências e algumas cidades da RMS.

 “A quadrilha é responsável por diversos delitos nestes bairros e o objetivo da ação era prender seus integrantes”, revelou o delegado, cuja delegacia é responsável pela área. O principal alvo, segundo ele, é um homem conhecido por George, líder do grupo. Os outros alvos eram seus comparsas ‘Léo Muringa’, ‘Alanzinho’, ‘Tutuca’ e ‘Ma’. “Todos são chefiados pelo traficante Cristiano, o segundo homem na liderança da organização criminosa”, explicou Nilton Tormes.

No interior da residência, os policiais também encontraram uma nota de R$ 20, parcialmente queimada, sugerindo que tenha sido subtraída de algum caixa eletrônico explodido recentemente. “A principal suspeita é de que a quadrilha estaria planejando um assalto a banco. E a nota encontrada no local reforçou a ideia, que surgiu assim que prendemos o ‘Dinho Caixa-Forte’, na sexta-feira”, disse. Todo o material apreendido será encaminhado à perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Facebook Comments