Data de Hoje
1 December 2021

Acupuntura oferece tratamento eficaz para pessoas que sofrem de depressão

Estudos comprovam a eficácia da Acupuntura Médica no tratamento da depressão, mal que assombra a vida de jovens, adultos, idosos e, até mesmo, de crianças

A depressão, disfunção que faz parte dos chamados transtornos afetivos e do humor, vem tomando caráter epidêmico em todo o mundo. A sua prevalência média atual é de aproximadamente 16% da população mundial.

Apesar disso, não existe ainda uma definição precisa sobre o melhor procedimento terapêutico a seguir. A acupuntura médica tem se revelado uma importante alternativa de tratamento, com resultados positivos e comprovados em estudos.

Um desses estudos mais recentes, publicado no Jornal Americano de Psiquiatria: Effects of Electroacupuncture on Depression and the Production of Glial Cell Line–Derived Neurotrophic Factor Compared with Fluoxetine: A Randomized Controlled Pilot Study (2013), indicou que o tratamento por acupuntura é capaz de regularizar os níveis cerebrais do Fator Neurotrófico derivado do Cérebro (GDNF), que se encontra diminuído em pacientes deprimidos.

O estímulo através da eletroacupuntura se mostrou, inclusive, superior ao efeito da fluoxetina (medicamento utilizado no tratamento de depressão) na capacidade de regulação do GDNF.

Outro importante estudo nessa área é o trabalho do dr. Wang da Universidade de Pequim: CLINICAL EXPERIENCE: Effects of Electro-Acupuncture on Personality Traits in Depression: A Randomized Controlled Study (2013), que comparou os efeitos antidepressivos da acupuntura e da Paroxetina no tratamento da depressão.

Sessenta pacientes foram selecionados de acordo como os critérios estabelecidos e feita a avaliação por escala apropriada antes e depois do tratamento.

Os resultados mostraram que houve melhora significativa em ambos os grupos após 24 semanas de tratamento, concluindo que a eletroacupuntura se mostrou tão eficaz no tratamento da depressão quanto o antidepressivo Paroxetina – e sem os efeitos colaterais de uma medicação.

A explicação acerca do mecanismo pelo qual a acupuntura tem a capacidade de minorar os distúrbios emocionais, se alicerça na sua ação moduladora do sistema nervoso central.

Sabe-se, hoje, que a inserção da agulha de Acupuntura estimula terminações nervosas existentes na pele e nos tecidos subjacentes, principalmente nos músculos.

A ‘mensagem’ gerada por esses estímulos segue através de fibras nervosas periféricas até o sistema nervoso central (medula e cérebro) e aí incrementa a liberação de diversas substâncias químicas conhecidas como neurotransmissores: serotonina, noradrenalina e dopamina, que são exatamente as mesmas relacionadas ao controle do humor e das emoções.

“Além dessa ação moduladora sobre as emoções, o estímulo das agulhas desencadeia uma série de outros efeitos importantes, tais como, analgésico, anti-inflamatório, relaxante muscular e sobre  os sistemas endócrino e imunológico”, explica Dr. Dirceu Sales, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA).

Há décadas, existem importantes estudos que a referendam a ação neuromoduladora da acupuntura, como os de Luo, Jia e Zhan (1985), Lou e cols (1990), Yang (1994) e Han (1996).

No trabalho de Luo, em estudo randomizado prospectivo que contou com 241 pacientes foi comparado o efeito da eletroacupuntura com o da amitriptilina. Nos dois grupos estudados houve melhora substancial da doença depressiva, sem qualquer diferença nos índices de recorrência a longo prazo.

Ação da Acupuntura – Pesquisas das últimas décadas vieram a atestar que a inserção de agulhas de acupuntura em pontos específicos do corpo provocam fenômenos de neuromodulação em três níveis: periférico (local), espinal e supraespinal- resultando em

liberação de variadas substâncias neuromoduladoras com normalização de funções motoras, sensoriais, autonômicas, neuroendócrinas, de controle de expressão emocional, além de corticais espinais.

Facebook Comments