Data de Hoje
19 May 2022
Foto: Reprodução

Agente da Sedur acusa deputado Marcel Moraes de agressão física

Uma agente da Sedur acusa o deputado Marcell Moraes (PV), de ter a agredido fisicamente. A ação teria ocorrido na manhã desta quinta-feira (2), nas proximidades da sede do Partido Verde, durante a festa de Yemanjá. A mulher registrou queixa no posto policial da Igreja de Santana.

O deputado afirmou através de sua assessoria, que não houve agressão e que vai processar a agente por calúnia e difamação: “O deputado estadual Marcell Moraes repudiou as acusações feitas por uma fiscal da Sedur, que teria o acusado de agressão durante a festa de Iemanjá, neste 2 de fevereiro. Segundo o parlamentar, a “confusão” começou quando ele questionou o trabalho da equipe da prefeitura que invadiu a sede do Partido Verde para retirar (rasgando) uma faixa anexada na grade do prédio, além de destruir a plotagem do trio elétrico estacionado também na Rua João Gomes”.

O parlamentar afirmou ainda que na realidade a agressão partiu da agente: “Questionei a forma como eles estavam agindo e ela não gostou. Infelizmente muitos desses fiscais que recebem determinado poder, não estão preparados para atuar junto ao público. Se agiram dessa forma truculenta comigo, que sou um parlamentar, imagine com o cidadão comum. Além de arrogante, essa cidadã faltou com a verdade ao dizer que agredi-la, quando foi ela quem agrediu minha assessora. A queixa foi registrada na delegacia do Rio Vermelho, e ainda a processarei por calúnia e difamação”, concluiu Marcell Moraes.

A reportagem do VN entrou em contato ainda com a delegada Cláudia Pugliese, que registrou a ocorrência, e ela afirmou que o material recolhido pela agente, de fato é irregular: “Ele a agrediu fisicamente e a ameaçou. Foi a queixa que ela deu aqui. Registramos e vamos mandar para a 7ª DT. Tudo depende dela, se ela vai querer continuar, porque é um mini inquérito.”

“A confusão começou porque ela estava trabalhando, retirando as propagandas ilegais dele, que não podiam ser postas hoje. Ai quando ela foi tirar, não foi nem ela! Foi a equipe… Quando a equipe dela estava tirando, ele estava perto e deu um empurrão, um soco e um tapa no ombro dela”, explicou a delegada, baseada no depoimento da mulher.

Varela Notícias

Facebook Comments