Data de Hoje
19 May 2022
Brincando, Anderson Silva bate fácil o peso e confirma luta contra Brunson

Anderson Silva lidera batalhão brasileiro contra elite dos EUA

O ícone dos pesos-médios, Anderson Silva não economizou palavras. Com um sorriso de orelha a orelha na última quarta-feira, ele declarou que, na noite de sábado, Nova York vai parecer o Rio de Janeiro.

 

“Esse é o time brasileiro”, disse Anderson a respeito da seleção de cinco nomes que representará o país no card do UFC 208. Além de Anderson, que enfrenta Derek Brunson na luta co-principal, Ronaldo Jacaré, Glover Teixeira e Roan Jucão defenderão a bandeira de um país que há muito tempo produz alguns dos melhores lutadores de MMA, e alguns dos fãs mais apaixonados pelo esporte.

“No Brasil, somos todos fanáticos”, disse Jacaré, que medirá forças com Tim Boetsch, “Tudo começou no Brasil com a família Gracie, é um esporte muito popular no Brasil, e acreditamos que continuará crescendo. Apesar de estarmos um pouco chateados com o que tem acontecido com os lutadores brasileiros, ainda temos muito amor e paixão pelo esporte”.

Títulos do UFC costumavam ser uma formalidade para o país, que já teve cinturões em todas as divisões, exceto a dos meio-médios, moscas e palhas nos mais de 23 anos de UFC. Hoje, porém, apenas José Aldo e Amanda Nunes detém cinturões do Ultimate, uma situação que um faminto grupo de veteranos e estrelas em ascensão pretendem mudar em breve. Não haverá brasileiros disputando cinturões neste final de semana, mas cinco vitórias podem ser um bom começo para a campanha de 2017.

Jacaré

“Para mim, a melhor situação é a vitória de todos os brasileiros”, disse Anderson, “Sei que é uma luta você tem 50% de chance e seu oponente outros 50%, mas estou muito empolgado porque todos os atletas escalados para sábado estão trabalhando duro para os fãs. Eu respeito todos, Deus abençõe todos os lutadores, e vamos ao trabalho”.

“Tenho uma boa amizade com os brasileiros que vão lutar neste card, são caras ótimos e, é claro, se você é brasileiro, tem que torcer para o Anderson Silva”, acrescentou Glover, que encara Jared Cannonier, “Ele é nosso ídolo no esporte, então espero que todos saiam vencedores. É uma energia positiva, eu amo aqueles caras e estou torcendo para eles”.

 

Isso é algo notável, porque raramente se vê este tipo de união entre atletas de outros países. Na última quarta, não se viu os atletas norte-americanos exaltando o “Time Estados Unidos”. Mas, com os brasileiros, a história é completamente diferente.

Glover Teixeira

“Às vezes os brasileiros treinam juntos e se encontram em torneios de jiu-jítsu e outros torneios de MMA no Brasil, e todos temos uma ótima relação”, disse Anderson, “Essa é a energia brasileira”.

 

“Já lutei no Brasil com muitos outros brasileiros no mesmo card, e é sempre bom lutar ao lado de brasileiros”, concordou Jacaré, “É bom estarmos juntos e perto uns dos outros para tudo”.

Mas esta mentalidade de equipe significa alguma coisa quando a porta do octógono se fecha? De acordo com Josuel Distak, treinador de longa data de Anderson e Jacaré, sim. E não apenas para os lutadores.

 

“É como se fosse o Brasil contra o resto do mundo”, disse Distak, “É tão importante porque todos os brasileiros estão treinando juntos, você tem o Jacaré e o Anderson treinando juntos, e acho que essas lutas são muito importantes, não só para eles ou para qualquer lutador, mas para o Brasil. Acho que o Brasil sairá vencedor no sábado. Como diz o Anderson, quando todos os atletas estão juntos, ninguém pode nos vencer. No Brasil, acho que é importante para as pessoas acreditarem em si mesmas. Quando Anderson diz que somos o Time Brasil, não é pelas lutas. É pela nova geração que está chegando”.

 

Facebook Comments