Data de Hoje
20 September 2021

Após rebelião, 20 presos são transferidos do Conjunto Penal de Eunápolis

Rebelião EunápolisReprodução/Record Bahia

Na tarde desta quinta-feira (1º), 20 presos foram transferidos do Conjunto Penal de Eunápolis, município localizado no sul do Estado, após a rebelião que ocorreu na segunda-feira (29) e deixou seis mortos e sete feridos. Segundo informações do Major Gilson Paixão, diretor do Conjunto Penal, homens foram encaminhados para a Cadeia Pública e para a UED (Unidade Especial Disciplinar).





Ainda de acordo com o major, os 20 transferidos são considerados os lideres do movimento, identificados também através de imagens. Uma investigação ainda está sendo feita para averiguar se tem mais pessoas envolvidas diretamente da rebelião.







O major informou que quatro dos sete feridos já retornaram para a unidade prisional, dois estão internados em observação e um foi conduzido por problemas psicológicos e está em tratamento. Outros 564 presos permanecem custodiados na Cadeia Penal de Eunápolis.





Rebelião





Seis presos morreram e mais sete ficaram feridos durante uma rebelião no Conjunto Penal de Eunápolis, a 672 km de Salvador, na segunda-feira (29), de acordo com a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia). A Seap alegou que os crimes foram cometidos por internos que lideraram o motim, iniciado na manhã de hoje.  





A rebelião, que envolveu 341 internos de um pavilhão com presos provisórios, foi motivada por causa da revista que, ainda segundo a secretaria, faz parte de um processo periódico de manutenção da ordem e da segurança das unidades.





Os presos que se encontravam no pátio da unidade, aguardando o fim da revista, agrediram os agentes e policiais militares que davam apoio ao procedimento. Em virtude da violência utilizada pelos internos, que arremessaram pedras e artefatos na equipe, a unidade precisou pedir reforço a Caema (Companhia Independente de Policiamento Especializado Mata Atlântica), para controlar a situação. Durante o motim, que seguiu até o fim da tarde, a Seap também contou com o apoio do 8º Batalhão de Porto Seguro, da 7ª Companhia de Eunápolis, e do 13º Batalhão de Teixeira de Freitas. No confronto com a Polícia Militar, um interno teve um ferimento na perna e foi atendido pelo serviço médico da unidade.





Após o motim, algumas celas ficaram totalmente destruídas.

Facebook Comments