Data de Hoje
19 May 2022
Foto reprodução

Atenção motoristas da Uber! Conheçam as rotas perigosas de assaltos

O número de roubos  e furtos de veículos em Salvador tem assustado a população. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) registrou, somente no primeiro semestre deste ano, 4.506 casos na capital baiana. A média é de 28 ocorrências por dia. Com base nos dados divulgados pela SSP.

Desconfiança, medo e instabilidade emocional são sentimentos de quem anda por alguns bairros de Salvador. Um levantamento feito pelo jornal Correio, indicou vários locais onde os motoristas da Uber devem evitar ou ficar atentos.

O Sistema Uber opera em Salvador desde abril de 2016 disseram que os casos de violência contra eles aumentaram significativamente depois que o aplicativo passou a aceitar pagamento em dinheiro, a partir do segundo semestre do ano passado, pois antes o pagamento era feito somente através do cartão de crédito, “não tínhamos assaltos. Agora, viramos alvos fáceis dos bandidos”, desabafou.

Ainda segundo ele, quando foi assaltado, ele não desconfiou, inicialmente, que a corrida era uma cilada. “Eles vieram conversando, brincando um com o outro, descontraídos, falando sobre o Carnaval. Até então, não podia imaginar nada”, recorda.

Porém, em um determinado momento, Tiago ficou desconfiado.  “O rapaz que estava no carona perguntou: ‘Tá fazendo muita corrida?’. Foi aí que cismei. Respondi que, como havia muito engarrafamento por causa de outros motoristas, taxistas e motoboys, fazia pouca corrida”, conta. Apesar da desconfiança, ele seguiu e acabou assaltado.

Durante o Carnaval ocorreram várias situações uma delas é sobre os passageiros que embarcaram em Ondina à 1h e disseram que ficariam em um dos edifícios da Rua Onze de Novembro, a principal. “Quando chegamos no destino, o carona encostou a ponta de uma faca na minha barriga e anunciou o assalto”, lembra Tiago. Ele teve os R$ 220 e o celular levados pelo trio, que conseguiu fugir a pé.

Por conta dessa e de outras ocorrências, alguns motoristas do Uber têm evitado aceitar solicitações para diversos pontos da cidade. Muitos temem circular na Santa Cruz, São Gonçalo e Chopm I (Cabula), Bairro da Paz, Cocisa (Paripe), Lobato, Congo (Periperi), além do Planeta dos Macacos e a Yolanda Pires (São Cristóvão), a comunidade de Santa Rosa de Lima, o Inferninho, e a Baixa Fria (Costa Azul), e do Bate Facho (Boca do Rio), São Gonçalo, nas imediações do Cabula, e para o Bairro da Paz. Cocisa (Paripe), Lobato, Periperi – no Congo – são locais do Subúrbio também evitadas.

Tiago não foi a única vítima recente de violência contra motoristas do Uber na capital. Quatro dias depois de ele ser assaltado, o também motorista Ramiro Fernandes Teles da Rocha, 23, foi encontrado baleado dentro do carro que usava para trabalhar, no Cabula. Ele foi socorrido, mas chegou morto no Hospital Geral Roberto Santos.

O medo de entrar em alguns locais vem da experiência própria ou dos casos compartilhados em grupos no  WhatsApp. “Os relatos são constantes. Nos comunicamos via WhatsApp e toda hora é um relato’, disse. Os motoristas têm recusado corridas para São Cristóvão após relatos de assaltos a colegas no Planeta dos Macacos e na Yolanda Pires.

Em nota, o Uber lamentou a violência, afirmou que colabora com investigações e que, “em caso de assalto ou qualquer tipo de violência, orientamos os usuários e motoristas a contatar imediatamente as autoridades policiais”.

Resposta da Uber: 

Em nota, a PM informou que “O Uber entra na abordagem diária realizada pela Polícia Militar assim como qualquer veículo, pois é um carro comum, sem identificação específica. Isso dificulta uma ação direta de prevenção visando a categoria. Nesse caso, as abordagens a veículos na cidade serão intensificadas, inclusive por meio de blitz”.

Veja as rotas mais perigosas para rodar com Uber e Táxi

Reprodução: Editoria de Arte do CORREIO

 

Facebook Comments