Data de Hoje
21 September 2021

Ausência de Diogo Medrado em encerramento do Salão do Turismo causa estranheza



A ausência do novo presidente da Bahiatursa no encerramento do 3º Salão Baiano de Turismo causou estranheza aos presentes e os burburinhos pelos corredores do Centro de Convenções foram inevitáveis. A informação é da coluna Satélite, do jornal Correio da Bahia.



O sumiço de Diogo Medrado, que assumiu o comando da Empresa Baiana de Turismo na semana passada, seria por conta das tensões entre o PT baiano e o Solidariedade, partido comandado no estado pelo deputado federal Marcos Medrado, pai de Diogo Medrado.



Isso porque, o presidente nacional do SDD, deputado Paulinho da Força, deseja ver o partido que fundou dividir o palanque com os oposicionistas, liderado pelo pré-candidato do DEM, o ex-governador Paulo Souto.


 


Diogo Medrado, o secretário Pedro Galvão e o governador Jaques Wagner na abertura do Salão do Turismo


Já Marcos Medrado bateu o martelo e fechou acordo com a chapa governista liderada pelo pré-postulante petista, Rui Costa, o que garantiu, inclusive, a cadeira de presidente ao seu herdeiro político, que tem 26 anos e nunca atuou no ramo. Diogo Medrado substituiu o ex-dirigente Fernando Ferrero, amigo do governador Jaques Wagner (PT), destituído do cargo por telefone durante uma viagem ao Chile.



Ainda conforme o Correio, como a aliança com os petistas baianos foi ameaçada pelos caciques do SDD em Brasília, o PR na Bahia, do ministro dos Transportes e ex-governador César Borges, já teria colocado os olhos em cima da Bahiatursa, órgão ligado à Secretaria Estadual do Turismo, com orçamento de quase R$ 100 milhões anuais. 


 


Presidente do PR, José Rocha deu um pulo no Salão do Turismo e disse que foi recepcionado como o "deputado parceiro do turismo"


 
Atualmente, os republicanos baianos comandam a diretoria de Habitação e Urbanização Integrada e a Diretoria de Administração e Finanças da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder) e querem expandir seus tentáculos na máquina estadual. A Bahiatursa, inclusive, já era cobissada pelos líderes do partido que já tinham colocado para o governador Wagner o desejo de assumir a diretoria de Relações Nacionais do órgão ainda quando Fernando Ferrero era o dirigente.



Até o momento nenhum dos citados está disposto a tocar no assunto, apesar da insistência da reportagem. O que é dado como certo é que nos próximos dias, vésoera do São João e da Copa do Mundo, novidades poderam surgir.
Facebook Comments