Data de Hoje
30 November 2021

Autos: Boa opção, GLA transita entre os hatches e os utilitários esporte

Visto por diversos ângulos, o GLA chama a atenção por onde passa, ainda mais se for vermelho, como o que testamos nos últimos dias. Porém, o mais novo membro de veículos da família de compactos da Mercedes-Benz é apontado pela marca alemã como um SUV. Mas a baixa altura do modelo o aproxima mais de um hatch do que de um utilitário esportivo.

Testado em Salvador, o GLA 200 Vision mostrou que a suspensão está bem adaptada a nossas ruas e que o motor 1.6 turbo atende bem (Foto: Marina Silva)

Com apenas 1,49 m de altura, ele é 11 centímetros mais baixo que o Audi Q3 e tem 5 cm a menos que o BMW X1, dois dos seus concorrentes diretos e de mesma nacionalidade. Comparando com o V40 Cross Country, o hatch aventureiro da Volvo, ele tem apenas mais 3 cm de altura.

Mas, independentemente de qual segmento faça parte, o GLA é um produto muito interessante. Diversos sistemas dão assistência ao motorista. É o caso do Attention Assist, que alerta o condutor em caso de sonolência e sugere uma parada para descanso. Ou das luzes de freio adaptativas, que piscam alternadamente para avisar aos motoristas que vêm atrás, em caso de frenagem brusca. Ou mesmo a função Hold, que imobiliza o veículo em paradas temporárias, como nos engarrafamentos, sem que o condutor precise manter o pé pressionando o pedal de freio.

Para quem está em uma subida, há um assistente de partida em aclives (HSA, Hill Start Assistance), que mantém o GLA parado por alguns segundos após o pedal do freio ter sido liberado em inclinações, evitando que o veículo recue antes de arrancar.

Um item que vai frustrar quem busca no GLA um espirito aventureiro é a falta do estepe. O modelo conta com pneus modernos, do tipo run flat, que permite que o motorista rode alguns quilômetros mesmo que ele esteja furado, desde que em velocidade limitada. De qualquer forma, essa não é a solução ideal para quem pensar em se arriscar com o veículo em trechos não pavimentados. Além disso, os pneus não são de uso misto. De novo, não é interessante encarar o GLA como um utilitário esportivo.

EQUIPAMENTOS
O GLA avaliado, na configuração Vision, conta com volante multifuncional esportivo com acabamento em couro, controlador e limitador de velocidade, ar-condicionado digital de dupla zona e teto solar panorâmico, que inspira o nome da versão. O teto é duplo, o da frente tem acionamento elétrico e o traseiro é fixo.

O teto solar é duplo e conta com persianas elétricas. A parte dianteira pode ser aberta
(Foto: Mercedez-Benz)

Para completar, o banco do motorista tem ajustes elétricos com memória, permitindo registrar o posicionamento individual para até três condutores com apenas um toque.

As informações do sistema multimídia são exibidas na tela TFT de 17,8 cm. Além das funções oferecidas pelo Audio 20, tem sistema de navegação por GPS, permite acesso à internet por meio de conexão Bluetooth a dispositivos móveis com pacote de dados, memória de 10 GB para arquivos de áudio e Linguatronic, entre outras funções.

PROPULSÃO
Assim como sua família, que é formada pelo CLA e os Classe A e B, a motorização base é a mesma: 1.6 turbo com injeção direta de gasolina. Esse propulsor rende 156 cv de potência a 5.300 rotações por minuto. O torque máximo, disponível entre 1.250 e 4 mil giros, é de 25,5 kgfm. Para completar o conjunto, está associada ao motor  uma transmissão automática de sete velocidades que pode ter trocas de marchas realizadas sequencialmente por borboletas atrás do volante.

O acabamento interior mescla cinza, preto e branco. O volante traz 12 teclas e a manopla de câmbio fica instalada no lado direito da coluna de direção
(Foto: Mercedez-Benz)

De acordo com a fabricante, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 8,8 segundos, com velocidade máxima limitada eletronicamente a 215 km/h. Pelas nossas medições, o consumo urbano foi de 9 km/l e na estrada chegou a 11,4 km/l.

MERCADO
O GLA foi escolhido ao lado do Classe C para o reinício da produção nacional de veículos da Mercedes-Benz. A fábrica está sendo construída  em Iracemápolis, no interior de São Paulo, e em 2016 os primeiros produtos começarão a ser produzidos.

O valor inicial do GLA 200 é R$ 128.900, preço da configuração Style. A seguir, por R$ 136.900, vem a versão Advance. A configuração Vision custa R$ 154.900, como a testada, e a Black Edition sai por R$ 157.900. A diferença de R$ 3 mil, cobrados a mais pela versão Black Edition, se limita à pintura negra das rodas e retrovisores e pedais com acabamento em alumínio.

O GLA tem 4,42 metros de comprimento, 1,82 m de largura, 1,49 m de altura e 2,70 m de distância entre eixos. O porta-malas acomoda 421 litros
(Foto: Marina Silva)

Para quem quer mais força, as opções são o GLA 250, que tem 211 cv de potência e custa a partir de R$ 171.900, e o GLA 45 AMG, que oferece 360 cv e custa R$ 298.900.

Entre janeiro e junho, a Mercedes-Benz comercializou 1.880 unidades do GLA no Brasil, média de 313 exemplares por mês. É um número superior à soma das vendas dos Classe A e B e do CLA, o que prova que o modelo foi uma boa escolha para ser feito no país

Facebook Comments