Data de Hoje
4 August 2021

Auxiliar industrial foi morto em assalto a ônibus quando tentou esconder o celular

O bandido usou uma pistola 380 para balear a vítima no braço e no tóraxO auxiliar industrial Alexandre de Jesus Silva, 28 anos, morreu depois de ser baleado durante um assalto a ônibus no Aquidabã, nesta quarta-feira (24). Ele tentou entregar o celular para o cobrador, na esperança de que o trabalhador escondesse o aparelho para que os bandidos não levassem, mas um dos criminosos percebeu a ação. O crime aconteceu no viaduto em frente ao Sesc, por volta das 18h. Essa foi a terceira morte em assalto a ônibus em Salvador, somente em maio.Segundo a polícia, dois homens entraram no coletivo Vista Alegre/ Lapa e anunciaram o assalto. Eles começaram a saquear os passageiros que estavam sentados na parte de trás do coletivo e seguiram pelo corredor. Alexandre estava em uma das cadeiras que ficam próximas do cobrador e tentou passar o celular que tinha nas mãos para o trabalhador, para que escondesse o aparelho. Foi nesse momento que um dos bandidos percebeu a ação, apontou a arma e disparou contra o auxiliar industrial.

 

Segundo a delegada do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marilene Lima, um dos bandidos não estava armado de verdade. “Apenas um deles tinha uma arma. O outro estava com um simulacro de arma de fogo. Ele deixou o objeto cair na fuga e nós recuperamos. Os bandidos ainda não foram identificados”, contou.Os investigadores encontraram uma capsula 380 no ônibus, o que indica que o bandido estava armado com uma pistola. Os tiros atingiram o braço direito e o tórax de Alexandre. Ele caiu no chão do coletivo e morreu antes de receber os primeiros socorros. Os disparos assustaram o motorista, que perdeu o controle do ônibus e se chocou contra outro coletivo que estava logo à frente. O impacto foi tão forte que destruiu o vidro dianteiro do ônibus onde acontecia o assalto. Os bandidos aproveitaram a gritaria dos passageiros para fugir, levando alguns dos pertences das vítimas.

O crime, somado ao fluxo de veículos que circulavam pela região por conta do jogo na Arena Fonte Nova, causou um congestionamento na região. Quando os policiais chegaram os passageiros tinham ido embora. Alexandre estava sem a carteira de identidade e carregava apenas o crachá da empresa onde ele trabalhava. Ele morava no bairro de Coutos, no Subúrbio Ferroviário.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que o Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc) já está em busca das imagens da câmera do ônibus onde ocorreu o crime, no Vale de Nazaré.  Quem tiver informações sobre o crime pode ajudar a polícia através do Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública (3235-0000). O sigilo é garantido.

Passageiro morto na Paralela

A região da Aquidabã também foi onde a polícia prendeu Antônio Carlos da Silva, 28, conhecido como Negão, nesta quarta-feira. Ele confessou que matou Enéas Santos Santana, 21, durante um assalto a ônibus na Avenida Paralela. O crime aconteceu no sábado (20), nas imediações do Shopping Paralela.

 

Antônio e outro homem entraram no ônibus que fazia a linha Mussurunga/Barra e saquearam os passageiros. Depois que a dupla desceu do veículo, Enéas correu atrás deles para tentar recuperar os pertences. O suspeito desceu do coletivo e correu pela passarela, mas foi alcançado por Enéas.

 

“Eu pedia para ele voltar, mas ele corria mais do que eu e me alcançou rápido. Ele meteu um bloco em mim, meu ombro está machucado. No que ele fez isso, eu me defendi. Minha intenção não foi tirar a vida dele. Vou pagar pelo que fiz”, contou Antônio. No entanto, a polícia não encontrou indícios de que Enéas tenha agredido o assaltante.

 

 

Correio da bahia

Facebook Comments