Data de Hoje
3 August 2021
Foto: Reprodução

Bandidos voltam a aterrorizar passageiros dentro de ônibus em Simões Filho

Do lado de fora do ônibus, a viagem parece tranquila, mas, no interior do coletivo, passageiros e motoristas se tornam reféns de assaltantes. Armados, os bandidos recolhem dinheiro, objetos pessoais dos passageiros e fazem ameaças. Uma violência que já virou rotina para quem depende do transporte de ônibus em Simões Filho e para quem trabalha nele.

O último caso aconteceu na noite desta segunda-feira (25/9), no coletivo que faz a linha Barra x Simões Filho, da empresa Expresso Metropolitano. O coletivo seguia pela BR-324, na saída de Brasilgás, quando dois homens anunciaram o roubo. O veículo estava quase com lotação total, quando os ladrões entraram no ponto da Barros Reis, passando-se por passageiros. Bastou rodar alguns poucos quilômetros para que um dos bandidos se posicionasse na parte dianteira, com uma pistola em punho.

De acordo com relatos de testemunha, que não quis se identificar, a dupla estava visivelmente alterada e um dos assaltantes desconfiou que um passageiro fosse policial. “Ele pediu para que todos se abaixassem, mas um rapaz não obedeceu a ordem do bandido, que questionou se ele era policial. Em seguida, o obrigou a recolher os pertences das pessoas”, contou.

O passageiro, com uma sacola, seguiu pelos corredores do coletivo saqueando os outros passageiros, que foram obrigados a entregar carteiras com dinheiro e documentos, aparelhos de telefone celular, relógios, entre outros pertences de valor. Sob ameaças, o cobrador também teve que entregar uma quantia em dinheiro da venda de passagens.

Os ladrões, ainda segundo relatos de testemunhas, ameaçaram atirar dentro do coletivo, caso alguém não entregasse os objetos pessoais. Um deles ainda disse que iria atirar, caso não entregassem, pois ele era menor e ‘não ia dar nada’.

O motorista do veículo chegou a ligar o pisca-alerta, mas os criminosos perceberam e o obrigaram a desligar. Depois, desceram no trecho de Águas Claras.

Até o momento, ninguém foi preso. (Simões Filho Online)

Facebook Comments