Data de Hoje
1 December 2021

Brasil retoma padrão, se recupera e bate o Japão no Grand Prix de vôlei

ggggggggggggggggggggggggggggggg

 

Juciely havia anotado apenas nove pontos em toda a partida contra a Rússia. Nos dois primeiros sets contra o Japão, fez 13. Principal pontuadora do Brasil no Grand Prix de vôlei feminino, a central é um termômetro importante do quanto as atuais bicampeãs do torneio reagiram na fase final do torneio, que está sendo disputada em Omaha (EUA). Um dia depois de um revés acachapante para as russas, as brasileiras reagiram e bateram o Japão por 3 sets a 0 (25/21, 25/23 e 25/16) nesta sexta-feira (24).

A derrota para a Rússia havia sido um golpe duro para a seleção brasileira, que estava invicta na edição 2015 do Grand Prix. Foi a primeira vez desde 2011 em que a equipe verde-amarela saiu de quadra sem vencer um set sequer na competição.

A explicação para um tropeço assim é multifatorial, evidentemente, mas no caso brasileiro isso passa pela produção das centrais. As russas sacaram melhor, pontuaram mais em bloqueios (13 a 6) e conseguiram barrar Carol e Juciely. Cada uma das titulares do meio de rede verde-amarelo anotou nove pontos.

Nesta sexta, o volume mudou. Juciely brilhou no ataque, com aproveitamento quase perfeito nos dois primeiros sets, e ainda foi a principal bloqueadora da partida (oito pontos no fundamento). Com isso, também fechou o jogo como a maior pontuadora (19). Carol foi a segunda que mais pontuou (13), a despeito do desempenho claudicante no ataque, e ainda contribuiu com um saque extremamente eficiente (dois pontos diretos e uma dificuldade enorme para a defesa japonesa em toda a partida).

Carol e Juciely são companheiras de clube no Rexona/Ades, mas disputam o mesmo espaço na seleção brasileira. Fabiana e Thaísa, titulares absolutas na posição, foram alijadas dos torneios de 2015 por questões físicas. Com isso, em teoria há apenas um lugar vago para centrais no elenco que disputará os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro – em Londres-2012, a terceira convocada foi Adenízia, que está atualmente disputando os Jogos Pan-Americanos e segue sendo concorrente.

A vitória recoloca o Brasil na briga pelo tricampeonato do Grand Prix. A fase final é disputada por seis seleções, que se enfrentam em turno único. O Japão, que já havia enfrentado Estados Unidos e China, perdeu todas as partidas por 3 sets a 0.

O Brasil, que tem duas vitórias e uma derrota, voltará à quadra às 19h10 (de Brasília) do próximo sábado (25). O time comandado por Paulo Coco – auxiliar de José Roberto Guimarães, que também está no Pan – enfrentará a seleção dos Estados Unidos, que venceu Japão e Itália em seus dois primeiros compromissos na fase final.

 

Facebook Comments