Data de Hoje
24 April 2024

Campanha arrecada agasalhos na Estação da Lapa até esta sexta (7)

Até esta sexta-feira (7), a Campanha do Agasalho 2023 estará com um estande de arrecadação de roupas, agasalhos e cobertores novos ou usados na Estação da Lapa, com o objetivo de alcançar o maior número possível de pessoas interessadas em doar. Promovida pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), a ação busca arrecadar esses itens para doar a instituições sociais, visando aquecer quem mais precisa nos dias e noites frias de inverno.

Foto: Divulgação polícia civil PR

“Nossa expectativa é ultrapassar o número de doações da última edição para, dessa forma, alcançarmos mais pessoas que precisam se proteger nesse tempo frio. Sabemos que o frio dói, mas a solidariedade de todos e o amor aquecem aos mais necessitados. Nosso planejamento é de entregar nos próximos dias as doações a quatro instituições, creches comunitárias e ONGs. Pode ser agasalho de qualquer tamanho ou outros itens como cobertores”, destacou o titular da pasta, Luiz Carlos de Souza.

Para o diretor-presidente da Nova Lapa, Zilney Campello, o êxito da campanha é fruto do espírito de união e fraternidade do povo soteropolitano e baiano. “Sabemos que isso é uma realidade em todas as áreas. Ficamos muito gratos a todos que estão contribuindo, porque a dor do frio é muito grande. A Prefeitura e a Seinfra estão de parabéns por essa ação e a Nova Lapa está de braços abertos, sempre participando dessas ações de amor cuidado com o próximo”, disse.

Doações – Nesta quinta-feira (6), o professor de música Marcos André Oliveira, de 48 anos, doou um agasalho, juntamente com a mãe Benigna Oliveira, 68 anos. “É uma campanha importantíssima, pois há muita gente que precisa. Eu sou professor e já trabalhei com pessoas em situação de rua e é uma questão que mexe com a gente. Então, realmente é uma campanha bacana para agasalhar essa galera que necessita, pois está fazendo muito frio”, opinou.

O funcionário público Leonardo Silva, de 50 anos, também doou algumas camisas de manga comprida. “Eu acho que quando a gente doa alguma coisa de coração para alguém, a gente não está agasalhando só o corpo, a gente está agasalhando o espírito dela também, então é um resgate da cidadania e da dignidade da pessoa. E como diz um provérbio chinês: aquele que acende a luz é o primeiro a se beneficiar da claridade”, salientou.

A estudante de nutrição Rosana Lopes, 22 anos, viu a campanha e já se planejou para doar no dia seguinte. “Eu queria ter trazido hoje o casaco, mas me esqueci. Eu acho bem interessante, porque nesse período chuvoso e de frio há muitas pessoas carentes precisando de alguma ajuda. É bom sempre pensar que se nós temos um conforto, outras pessoas não têm, e a gente pode sempre doar um pouco do que temos para o próximo. Sempre que eu posso eu faço alguma doação. Acredito que é um gesto de amor”, contou.

Pontos de arrecadação – A Campanha do Agasalho 2023 está arrecadando roupas e cobertores desde o dia 21 de junho nas secretarias e autarquias participantes. Além da Lapa, as pessoas podem fazer doações no endereço de algum desses órgãos até esta sexta, das 8h às 17h.

Além da Seinfra, participam da campanha a Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF); a Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman); a Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal); a Secretaria Municipal da Educação (Smed); a Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), a Secretaria de Sustentabilidade, Resiliência, Bem-estar e Proteção Animal (Secis), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Renda (Semdec), a Defesa Civil de Salvador (Codesal) e a Superintendência de Obras Públicas do Salvador (Sucop).

Na primeira edição, realizada em 2021, a Campanha do Agasalho arrecadou mais de 2 mil peças, levando um pouco mais de conforto para as pessoas beneficiadas. O montante deste ano será contabilizado ao final da campanha, mas já foram arrecadados itens diversos, a exemplo de agasalhos, cobertores, mantas, calças e camisas masculinas, femininas e infantis.

Reportagem: Priscila Machado/Secom