Candidato a prefeito de Socorro, Samuel Carvalho, é réu numa ação penal por se apropriar do dinheiro de uma varredora de rua*

A margarida (varredora de rua) Andreia Santos de Jesus, 39 anos, mãe de dois filhos, moradora de Carmópolis é a mais nova vítima de apropriação indébita do candidato a prefeito de Nossa Senhora do Socorro (SE), o advogado e evangélico da Assembleia de Deus, Dr. Samuel Carvalho. Ele recebeu R$ 4 mil da cliente em 26 de agosto de 2014 e não fez o repasse do valor. O Ministério Público de Sergipe fez a denúncia e Dr. Samuel é réu numa ação penal por apropriação indébita. O processo criminal de n°. 202072101334 (www.tjse.jus.br) não é sigiloso nem tem segredo de justiça.

Andrea de Jesus descobriu que o advogado Samuel Carvalho ficou com o dinheiro dela fruto de uma ação de indenização contra a TIM somente 10 meses depois do advogado embolsar a grana através do alvará judicial eletrônico.

O Ministério Público intimou o advogado Dr. Samuel Carvalho a apresentar o recibo de pagamento, mas ele só repassou R$ 2 mil e 500. O MP requisitou ao delegado a abertura de um inquérito policial e em seguida instaurou um procedimento investigatório contra Samuel.

Em março de 2020, quando foi intimado para uma audiência no Ministério Público em Carmópolis, Dr. Samuel decidiu devolver o valor restante de R$ 1 mil e 500, mas já era tarde. O promotor ofereceu a denúncia de apropriação indébita (reversão de posse) e o juiz da Comarca de Japaratuba, distrito de Carmopolis acatou. No último dia 26 de outubro (2020) Samuel Carvalho recebeu em sua casa, na Taiçoca de Fora, Socorro o oficial de justiça que lhe entregou o mandado de citação, para que ele apresente, em 10 dias, sua defesa.

O curioso dessa história é que o candidato a prefeito pelo Partido Cidadania levanta a bandeira da ética e da moral. No meio evangélico, na Assembleia de Deus, onde é pastor, Samuel prega que o homem deve seguir os passos de Deus e não deve ficar com o que é dos outros. Falta agora ele praticar a palavra.

Texto: Carlos Rodrigues

Foto: Arquivo / Rede Alese

 

  • VEJA TAMBÉM:

 

Casal de Campo Grande junta R$ 1.700 em moedas para comprar alianças

 

Serra vira réu no dia de prescrição do caso e responderá por corrupção, caixa 2 e lavagem de dinheiro

Facebook Comments