Data de Hoje
21 October 2021

Casal suspeito de manter jovem em cárcere privado por dois anos é preso

Jovem de 22 anos foi abusada sexualmente e agredida pelo casal durante o período; suspeito foi preso na noite da terça-feira

Os suspeitos de manter uma jovem em cárcere privado por 2 anos em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, foram presos. Antônio Bispo dos Santos, 32 anos, e Eliana Almeida de Araújo, 40, estavam foragidos desde que a jovem foi resgatada por vizinhos.

Antônio foi preso na terça-feira (29), por volta das 17h30, em uma fazenda na zona rural do município de Manoel Vitorino, no Centro-Sul baiano.

De acordo com a delegacia da cidade, o suspeito se escondeu inicialmente na casa da irmã, mas fugiu pela janela quando a Polícia Militar esteve no local procurando por ele na segunda-feira (28). Na ocasião, a polícia conseguiu prender a esposa de Antônio, Eliana Almeida, por volta das 22h50.

Ao ser preso, Antônio, mais conhecido como Tonho Galinha, disse ter andado de Conquista até Manoel Vitorino em fuga. Ele foi transferido para a delegacia de Vitória da Conquista na manhã desta quarta-feira (30), por volta das 10h. Os dois foram encaminhados para o Presídio Advogado Nilton Gonçalves, em Vitória da Conquista.

[

RTEmagicC_91381f21ff.jpg

Cela onde a jovem de 22 anos era mantida em cárcere (Foto: Divulgação/PM)

 

Entenda o caso

Uma jovem de 22 anos foi mantida em cárcere privado pelo casal por 2 anos, sofrendo abusos sexuais, emocionais e diversas agressões durante o período.

Em depoimento à polícia, a vítima relatou que foi apresentada ao casal por uma conhecida. “A jovem foi convidada e ao chegar na casa deles, não deixaram ela sair mais”, disse a delegada Decimária Cardoso Gonçalves, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Durante o tempo que permaneceu presa na residência com o casal e os três filhos adolescentes da mulher, a garota foi forçada a realizar serviços domésticos.

“Ela também era abusada sexualmente pelo homem, e era espancada e maltratada pelos dois”, revelou a delegada.

A vítima também passou por diversas privações durante o período, e entre os maus tratos e agressões que sofria, ela passou fome e chegou a ter que comer as próprias fezes para sobreviver. “Ela falou que eles não lhe davam comida direito, e que quando ela conseguia, tinha de comer escondido”.

A garota foi resgatada no dia 20 de setembro, após a polícia ser chamada por vizinhos, que ouviram gritos vindos da casa onde a vítima era mantida presa pela família, informou a 77ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Vitória da Conquista).

Família não prestou queixa

O imóvel, localizado no bairro Cruzeiro, não pertence aos suspeitos. “Os vizinhos comentaram que eles invadiram a casa há algum tempo”, disse a titular da Deam. Ainda de acordo com a Polícia Militar, uma guarnição da Base Comunitária de Segurança (BCS) esteve no local para resgatar a vítima após a denúncia, mas a jovem já havia sido solta por moradores quando a viatura chegou no local.

A garota foi socorrida por uma equipe do Samu e encaminhada para o Hospital São Vicente. No relatório médico consta que ela tinha úlceras, desnutrição, desidratação e palidez, segundo informações da 77ª CIPM. De acordo com a PM, a mãe da jovem disse que passou os últimos dois anos procurando pela filha, e chegou a aparecer em quadros de desaparecidos na televisão.

A mãe também contou aos policiais que fez uma “reza muito forte” no dia anterior ao resgate, pedindo que encontrasse pelo menos alguma informação que levasse ao seu paradeiro. A família, no entanto, não registrou oficialmente o desaparecimento da jovem, informou a delegada Decimária Gonçalves . “Eles sabiam que ela estava desaparecida, mas não deram queixa na polícia. Eles tinham problemas de relacionamento”, disse.

Por: Correio

Facebook Comments