Data de Hoje
27 May 2024

Chegou vivo”, diz defesa de mulher que levou homem morto para sacar empréstimo

Foto: Reprodução

 

A defesa de Érika de Souza Vieira Nunes, presa por suspeita de levar um homem morto para fazer um empréstimo em banco no Rio de Janeiro, afirmou que a vítima estava viva no momento em que chegou ao local. Socorristas que foram ao local para examinar o homem constataram que ele já estava morto.

 

Érika foi presa em flagrante na agência em Bangu, após funcionários desconfiarem da cena e chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que constatou a morte do idoso. Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento em que Érika tenta incentivar o tio, já morto, a assinar um pedido de empréstimo. A mulher foi presa por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio de cadáver, podendo chegar a 13 anos de prisão se condenada, somando as penas.

 

Érika disse que Paulo Roberto Braga, de 68 anos, era seu tio, mas segundo a polícia, eles são primos. Ela foi ao banco tentar fazer um empréstimo de R$ 17 mil.

 

“O senhor Paulo chegou à unidade bancária vivo. Existem testemunhas que, no momento oportuno, também serão ouvidas. Ele começou a passar mal e depois teve todos esses trâmites. Tudo isso vai ser esclarecido, e acreditamos na inocência da senhora Erika”, disse a advogada Ana Carla de Souza Correa, em entrevista ao site G1.

 

Uma audiência de custódia do caso deve acontecer nesta quinta (18), para determinar se a suspeita vai ficar presa.