Data de Hoje
20 September 2021

Copa sem metrô: CCR fará testes até setembro. Já a população, senta e espera

Há 14 anos esperando e a expectativa de que a Copa poderia ser a alavanca da 'lenda de Salvador' ter ido por água abaixo, faz com os que os testes que estão sendo feitos passem despercebidos, servindo de piada para quem ver o metrô andar e parar logo à frente.
 
Com fotos que chegaram à redação do Bocão News na manhã deste sábado (5), o site entrou em contato com a assessoria da CCR Metrô Bahia para entender o que vem acontecendo desde o mês passado. Em nota, a empresa informou que mais quatro vigas da superestrutura da estação Retiro começaram a ser transportadas no último dia 2. 

 
 
As vigas, que têm 35m e pesam 20 toneladas cada estão sendo transportadas do pátio de vigas, ao lado da Avenida Luiz Eduardo Magalhães, até o local onde está sendo construída a estação, nas proximidades do Km 1 da BR-324.
 
Segundo a CCR, o procedimento faz parte da complementação da linha 1 do Sistema Metroviário de Salvador – Lauro de Freitas, que segue em direção ao bairro de Pirajá. O Grupo CCR, tendo como concessionária a CCR Metrô Bahia, venceu a licitação para a construção e operação do sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, além de ficar responsável pela adequação, reforma, manutenção e operação dos Terminais de Integração de Passageiros e das estações do metrô por um período de 30 anos.

 
 
Do montante total a ser investido no projeto, R$ 3,9 bilhões, o Governo Federal vai arcar com R$ 1,3 bilhão, provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 da mobilidade, o Governo do Estado Bahia com R$ 1 bilhão e a concessionária com os restantes R$ 1,6 bilhão.
 
Ainda conforme a CCR, os testes desta semana seguem até domingo (6). Entretanto, a notícia que não agrada nem um pouco é de que estes testes vão ocorrer até 15 de setembro. Só depois deste período a população poderá, enfim, contar com o transporte público. 
 


Tido como o menor metrô do Brasil – com  apenas 12 quilômetros – a linha começa no Centro de Salvador e chegaria ao bairro de Pirajá. Desde 2000, quando as obras começaram, a população vive só de promessas. Os trens foram comprados em 2008. Seis composições e 24 vagões custaram cerca de R$ 100 milhões. Se a primeira linha já estivesse funcionando,  cerca de 200 mil estariam sendo transportadas por dia e pelo menos 300 ônibus deixariam de circular pelas ruas da cidade.
 
Como ainda tudo é só teste e só espera, a população assiste de camarote a mais um 'anda e para' do metrô. Desta vez, sem sacos de areia ou políticos acenando. Quem sabe, após os ferros, o passeiro possa, enfim, entr
Facebook Comments