Data de Hoje
21 February 2024
Foto Pedro Moraes / Click Notícias

Denúncia: ex-servidores do Derba relatam sofrer perseguições do Governo do Estado

Durante sessão da Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, presidida pelo deputado Estadual, Hildécio Meireles (PMDB), realizada na manhã desta terça-feira (10) na Assembleia Legislativa – ALBA, alguns ex- colaboradores do extinto Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia – Derba descreveram que vem sofrendo perseguições por parte do Governo do Estado da Bahia.

Segundo o presidente da associação sindical dos Servidores do Derba – ASDERBA, Nilton Borges Ramos, o governo da Bahia na ânsia de acabar com órgão remanejou seus colaborares para pastas dentro da máquina pública onde eles (colaboradores) não estão sendo aproveitados da maneira correta. Com isso alguns colegas estão apresentando casos de doenças psíquicas e físicas, pois além de ocuparem cargos fora de suas áreas de trabalho, outros explanam os assédios sofridos por seus atuais chefes.

“Tem um colega nossa que precisa tomar sete medicamentos diariamente. Certa vez, precisou pedir afastamento para ir comprar os medicamentos e foi proibido pela supervisora. Que ainda de forma debochada, agradeceu pelo governo ter acabado com o órgão, pois segunda ela, só tinham preguiçosos”,

Nilton, ainda narra que na época de votação no plenário da ALBA, o governo não promoveu um debate sobre os motivos de tal sugestão.

“Os servidores do Derba não foram ouvidos na época da extinção do órgão porque o governo apresentou uma proposta emergencial para ser votada em oito dias. A extinção do órgão pode ser resumida em uma frase “sucateamento das estradas baianas”. Há não existência do órgão encareceu o custo Bahia porque traz prejuízos para os caminhoneiros que transportam nossos alimentos. O Derba mantinha mais de 20 mil km de estradas preservadas em todo estado”, ressaltou.

Foto Pedro Moraes / Click Notícias

Foto Pedro Moraes / Click Notícias

Quando o Derba foi extinto em 2015, uma lista de recomendações deveria ser cumprida pelo governo, entretanto, a realidade é diferente.

1 – Vale alimentação e transporte retirados pelo governo;

2 – Não pagamento de horas extras;

3 – Não pagamento de adicionais de insalubridade e/ ou periculosidade;

4 – Não implementação de um programa de incentivo à aposentadoria premiada;

5 – Não manutenção dos servidores do extinto Derba, nos quadros da SIT, para formação de equipes de conservação e emergencial.

                                                   Por Pedro Moraes / Click Notícias