Data de Hoje
21 October 2021

Derrota do tricolor gera clima de cobrança dentro do clube

  • Cruzeiro começa o Brasileirão com vitória em cima do Tricolor

O clima entre os jogadores do Tricolor e o técnico Marquinhos Santos logo após a derrota para o Cruzeiro em plena Fonte Nova, na estreia do Brasileirão, não poderia ser diferente: de muita cobrança. Em especial por conta das falhas defensivas que resultaram nos gols da Raposa.

Na entrevista coletiva, o comandante tricolor lembrou que os jogadores foram alertados para o forte jogo aéreo cruzeirense. "A gente estudou esse aspecto do adversário antes do jogo e em cima disso definimos a marcação individual. Mas temos que considerar também a competência primeiro do Nilton e depois do Marcelo Moreno, que foram felizes em marcar", disse Marquinhos Santos.

 

A cobrança do treinador não ficou apenas nas falhas defensivas. Questionado sobre a qualidade do time reserva do Cruzeiro em comparação com o titular do Bahia, Marquinhos lembrou que o Tricolor está buscando reforços para o Brasileiro. "Esse é um assunto que já está sendo discutido junto à direção. De maneira interna, já tratamos de algumas situações", disse, lamentando ainda a ausência dos dois únicos reforços da equipe até agora. "Já chegaram dois atletas, o Henrique e o Roniery, mas que não tiveram condições de jogo para hoje. Então, estamos aí, tentando buscar mais reforços mas também ajudar os que já estão no elenco para fazer um campeonato seguro para o Bahia", completou.

Marquinhos, por enquanto, descarta fazer mudanças na equipe para o próximo jogo no Brasileirão, contra o Figueirense, no domingo. O treinador também reforçou a confiança dele no meia Lincoln, que não teve uma boa atuação diante do Cruzeiro: "Entendo que ele é um jogador experiente, bastante técnico e que segura bem a posse de bola, e isso é importante no Brasileiro por conta da qualidade das outras equipes".

Outra cobrança lembrou uma antiga carência da equipe: a falta de um camisa 9. Por enquanto, o treinador tem utilizado Lincoln e Talisca  se revezando na função, mas contra a Raposa a estratégia não funcionou tão bem. "A gente tem trabalhado também essa questão do homem de área. O próprio Maxi fez essa função hoje (ontem). De fato, criamos oportunidades, a bola passou algumas vezes na área, mas não concluímos", disse Marquinhos Santos.

Quem também reclamou disso foi o atacante Rhayner. "Acho que tivemos mais chances de gol que o Cruzeiro. Mas infelizmente, não concretizamos elas", disse na saída de campo.

 

Alegria cruzeirense

A bronca do lado tricolor constratou com a alegria do time mineiro, que largou bem para buscar o bicampeonato brasileiro. O atacante boliviano Marcelo Moreno, que iniciou a carreira em Salvador, pelo Vitória, foi um dos mais felizes na saída de campo. "Fico feliz por ter ajudado os companheiros e ter conquistado os três pontos. Venho trabalhando com muita seriedade, sabendo que tem muitos jogadores de qualidade no nosso elenco e esperando minha oportunidade", afirmou o autor do gol do triunfo da Raposa, que ainda disputa uma vaga como titular da equipe. "Espero ser levado em conta para a próxima partida", cobrou.

O baiano Borges também estava contente. "A gente veio para cá com o objetivo de vencer, mesmo com o time que não vem tendo sequência. A gente está de parabéns por ter aproveitado melhor as chances", disse.

 

Fonte: Atarde

Facebook Comments