Data de Hoje
25 January 2022

‘É mais difícil encontrar sobreviventes’, diz tenente em 4° dia de buscas

As buscas por vítimas e sobreviventes do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG) entraram no quarto dia nesta segunda-feira, 28. Conforme boletim divulgado pelo Corpo de Bombeiros às 10h40, o número de mortos passou de 58 para 60, dos quais 19 foram identificados, e a quantidade de desaparecidos foi de 305 para 292. Até o momento, 192 pessoas foram resgatadas com vida.

Representantes do Corpo de Bombeiros ponderam que não há expectativa de encontrar sobreviventes entre os desaparecidos. Militares do Exército de Israel, que chegaram ao Brasil na noite de domingo, integram as buscas a partir de hoje.

O porta-voz dos bombeiros de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara, declarou na manhã desta segunda que a situação da lama complica a procura. “Após 48 horas de operação, torna-se muito mais difícil de encontrar vítimas com vida. Existem relatos de pessoas que conseguem sobreviver em desabamentos, mas não com movimento de massa. A lama funciona como a água, ocupa todos os espaços, e não deixa bolsões de ar, como acontece em desabamentos. Mas até que todos os corpos sejam encontrados, o Corpo de Bombeiros trabalha com a doutrina de buscar por sobreviventes”, explicou Aihara.

O bombeiro afirmou que as buscas durante o domingo aconteceram, sobretudo, em uma casa no limite da mancha de inundação e em um ônibus. Os corpos de três mortos foram retirados da residência, enquanto, no caso do coletivo, os trabalhos não puderam continuar pelas dificuldades na instalação de equipamentos de iluminação.

As buscas se reiniciaram às 4 horas desta segunda-feira, 28, já com apoio dos 136 militares israelenses, que chegaram ao país com 16 toneladas de equipamento na noite deste domingo. De acordo com Aihara, a atuação dos militares Israel será conjunta com os bombeiros brasileiros e ficará concentrada próxima a área do refeitório da Vale e da pousada.

Os bombeiros trabalham com a possibilidade de aumentar o perímetro para as buscas porque a força da lama pode ter deslocado os prédios para frente. Ao todo, são 280 bombeiros militares brasileiros na busca.

Facebook Comments