Data de Hoje
26 September 2021

Eleição de prefeito coloca no “ringue” Rui e Neto

No ano em que completa 467 anos, Salvador prepara-se para eleger o “síndico” que cuidará da cidade pelos próximos quatro anos. O atual prefeito, ACM Neto (DEM), aparece como favorito para se reeleger.

Mas a eleição não pode ser considerada como favas contadas diante da imprevisibilidade da crise política que se arrasta desde o início de 2015, quando a presidente Dilma Rousseff assumiu o segundo mandato. Há também  outros fatores locais que influenciam.

Dilma e a outra “estrela” petista, o ex-presidente Lula, sempre ajudaram os candidatos do partido na Bahia. A situação se inverteu diante do desgaste do PT,  denúncias de corrupção e a recessão econômica.  Como o DEM é partido de oposição, em nível nacional, pode absorver grande parte dessa insatisfação contra o PT.

Bem avaliado

Para compensar, o governador Rui Costa,  raro petista com gestão bem avaliada, dá ênfase em ações na capital.

Coleciona obras de contenção de encostas e patrocina empreendimentos de  infraestrutura, como o metrô,  grandes avenidas que vão interligar o subúrbio à orla e o conjunto de viadutos na região da Av. Paralela.

Com a resistência, até aqui, do senador Walter Pinheiro de disputar a eleição de prefeito pelo PT, o partido ainda procura um nome. Mas o governador está incentivando várias candidaturas dos partidos da base de apoio, tentando pulverizar os votos no primeiro turno, buscando levar a decisão para o

segundo.

Contra o prefeito ACM Neto está uma suposta estratégia de disputar o governo do estado em 2018. Isso deve ser explorado pelos adversários, evocando a tese de que quem votar em Neto deveria saber que ele pode renunciar em dois anos de mandato para a disputa do posto de governador.

‘Showman’ e outros

Isso tudo deverá tornar a eleição deste ano, no mínimo, interessante. E, sem dúvida, divertida, graças à participação do candidato showman, deputado Pastor Isidório (PROS), capaz das estripulias mais bizarras para chamar a atenção.

Ele é apenas um dos que o governador Rui Costa pretende apoiar no primeiro turno (os outros são Alice Portugal, do PCdoB, e, provavelmente, Edvaldo Britto, do PSD). Na faixa dos partidos da chamada “esquerda autêntica”, vão disputar Renata Mallet, pelo PSTU, e Fábio Nogueira, pelo PSOL.

 

Facebook Comments