Data de Hoje
22 September 2021

Estudante da Ufba entra em coma durante ‘Sem Fronteiras’, em Londres; amigos fazem vaquinha

A estudante de medicina da Universidade Federal da Bahia (Ufba) Juliana Cavadas, 21 anos, encontra-se em um delicado estado de saúde. Ex-aluna do Colégio Militar de Salvador (CMS) e bolsista do programa Ciências Sem Fronteiras, Juliana está em coma induzido desde que sofreu uma embolia pulmonar, em Londres, no dia 24 de março deste ano. Ela está internada na UTI do North Middlesex University Hospital, na capital inglesa.

De família simples, Juliana inscreveu-se no programa Ciências Sem Fronteira para fazer um ano de graduação no exterior. Enquanto aguardava o resultado, mas ainda baseado no mesmo processo seletivo, ela foi convidada a fazer mestrado no curso Masters of Science in Reproductive and Sexual Health na London School of Hygiene and Tropical Medicine.

Apesar do tratamento de Júlia ser coberto pelo sistema de saúde do Reino Unido, por recomendações médicas, a mãe da jovem, Aneíldes Cavadas, precisará acompanhar a estudante durante todo o processo de recuperação, que deve durar cerca de um ano. Para ajudar nas despesas complementares ao tratamento, um grupo de ex-alunos do CMS iniciaram uma campanha de arrecadação na internet.

Uma vaquinha virtual foi criada pelo namorado de Juliana, também estudante de medicina. Até o momento, mais de 250 pessoas já contribuíram com a ação. O valor arrecadado será para contribuir com o pagamento das despesas de Aneíldes, que já está com a filha.

Para colaborar com a campanha, os interessados podem depositar qualquer quantia em nome da Associação dos Ex-Alunos do CMS no Banco Itaú (341), agência 7225, conta corrente 13790-5, CNPJ 13572755/0001-02.

Em nota, a Ufba se solidarizou com familiares e amigos da aluna. A universidade diz que está acompanhando o caso e que a aluna tem recebido assistência hospitalar e acompanhamento médico adequados, custeados pelo plano de seguro de saúde incluso no contrato firmado entre a estudante e o CNPq, responsável pelo Programa Ciência Sem Fronteiras.

Facebook Comments