Data de Hoje
19 May 2021
Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Eurico ataca presidente da FCF e cita até tráfico de drogas

Em resposta a Delfim Pádua Peixoto Filho, presidente da Federação Catarinense de Futebol , o presidente vascaíno Eurico Miranda foi ao ataque em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira. O cartola cruzmaltino rebate o desafeto listando coincidências que julga estranhas e até atacando o filho do membro do quadro político da CBF.

“Como eu fui chamado de mentiroso, a súmula está aqui”, alfinetou Eurico, referindo-se ao desafio proposto por Delfim Peixoto. Lendo a súmula da partida do primeiro turno contra a Chapecoense , disputada em julho, ele constatou que o árbitro Ricardo Marques Ribeiro relatou “a presença no vestiário da arbitragem do senhor Delfim Pádua Peixoto Filho, com o objetivo de cumprimentar, antes e depois do jogo”.

Feita a base de sua argumentação, Eurico Miranda passou à questão legal. Com uma resolução da CBF em mãos, leu “a proibição de presença de toda e qualquer pessoa no vestiário dos árbitros”, confrontando a norma com a súmula. “Vamos às coincidências: o árbitro daquele jogo (do primeiro turno) foi o mesmo de ontem (quinta-feira). Um dos assistentes também”, conclui Eurico Miranda.

Tratando sobre a atuação da arbitragem na visita ao Avaí , no último dia 4, o presidente vascaíno alegou que foi o delegado da partida, Delfim Mario Pádua Peixoto Neto, quem avisou o árbitro Ricardo Marques Ribeiro para expulsar Jorge Henrique por um arremesso de garrafa d’água no chão. “(Ele) nada mais é do que o filho do Sr. Delfim. Só quero saber como o árbitro viu e ouviu o Jorge Henrique, que foi expulso porque o delegado Delfim Neto o comunicou”, diz Eurico.

Esportes.terra
Facebook Comments