Data de Hoje
30 November 2021

Feira de Santana segue sem ônibus mesmo após chegada de frota

Agora a retomada do serviço depende dos rodoviários, que aguardam o depósito do pagamento relativo à quinzena para voltar às atividades

Os ônibus Feira de Santana continuam sem circular nesta segunda-feira (24), mesmo após a chegada dos veículos na cidade. De acordo com a prefeitura, cerca de 100 ônibus das duas empresas contratadas emergencialmente para operar o transporte coletivo de Feira de Santana chegaram à cidade desde o domingo (23).

Apesar de os veículos estarem prontos para circular, agora a retomada do serviço depende dos rodoviários, que aguardam o depósito do pagamento relativo à primeira quinzena de agosto para voltar às atividades. Esse é o oitavo dia consecutivo sem ônibus na cidade.

Ainda segundo a prefeitura, o pagamento da quinzena do salário dos rodoviários está assegurado. O prefeito José Ronaldo garantiu depósitos no valor total de aproximadamente R$ 370 mil, que entram na conta do Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos de Feira de Santana (Sincol).

“Uma parte desses vales é resultado de convênio da prefeitura com órgão federais, que repassam os recursos para o Município. Entretanto esses repasses estão atrasados. Para agilizar a situação, cobrimos, com recursos próprios, esse percentual a fim de assegurar todo o pagamento ao Sincol de forma antecipada”, afirmou o prefeito.

De acordo com José Ronaldo, o valor só poderá ser utilizado para remuneração dos funcionários das antigas prestadoras do serviço, Princesinha e 18 de Setembro, conforme acordo intermediado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). O CORREIO não conseguiu contato com o Sindicato dos reforçou pedido de bloqueio de bens das empresas e seus sócios na 3ª Vara do Trabalho de Feira. Os empresários já haviam disponibilizado 80 ônibus para serem vendidos a fim de que o valor seja usado para pagar as eventuais rescisões dos contratos dos cerca de 1.200 rodoviários.

Na manhã desta segunda-feira (24), o prefeito assinou contrato para que as empresas Rosa e São João possam atuar temporariamente na cidade pelo período de seis meses; elas venceram processo licitatório e, após esse prazo, assumem em definitivo a oferta do serviço, com o compromisso de colocar em sua frota 270 veículos zero quilômetroTrabalhadores Em Transportes Rodoviarios de Passageiros para comentar o caso.

 

Durante reunião realizada na semana passada, o MPT

Facebook Comments