Data de Hoje
27 September 2021

Feirão da Casa Própria terá imóveis a partir de R$ 90 mil

  • Feirão deve aquecer mercado da construção civil

A 10ª edição do Feirão da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal (CEF), terá um acréscimo na oferta de imóveis este ano de, no mínimo, duas mil unidades a mais em relação a 2013, quando foram disponibilizadas 20 mil. O evento será realizado em Salvador de 16 a 18 de maio, no Centro de Convenções da Bahia, e a  expectativa é receber em torno de 40 mil visitantes, número 30% maior do que o registrado na edição passada.

Quem for ao feirão encontrará imóveis com valores que variam de R$ 90 mil a mais de R$ 1 milhão. São apartamentos ainda na planta e recém-construídos, com o habite-se de, no máximo, seis meses.  "As empresas que estarão ofertando os imóveis são empresas pré-analisadas pela Caixa; então, são empreendimentos que têm uma garantia", afirma o gerente de habitação da Caixa Econômica, Dimas Neto.

Uma das vantagens do Feirão da Caixa é o tempo para o pagamento da primeira parcela.  Quem contratar o financiamento imobiliário poderá optar por pagar a primeira parcela somente em janeiro de 2015. O prazo para o financiamento imobiliário é de até 35 anos e as taxas de juros são a partir de 4,5% ao ano, variando de acordo com a renda do tomador e o valor financiado.

O financiamento cobre, normalmente, 80% do valor do imóvel, mas em se tratando das unidades do programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida, o financiamento pode chegar a 100% do valor, o que vai depender de cada caso,  segundo o gerente de habitação da Caixa.

Mas é importante ficar atento ao custo que a compra da casa própria terá nas despesas  familiares. Para não comprometer o orçamento, é indicado que o valor não ultrapasse  30% da renda do comprador, aconselha a coordenadora institucional da Proteste, Maria Inês Dolci. "Acima desse percentual,  o consumidor começa a ter problemas de endividamento".

O complicador, segundo Maria Inês, é o fato de o financiamento se tratar de uma dívida de longo prazo, já que outros compromissos podem ser  assumidos pelo consumidor. Assim, ele pode acabar  acumulando dívidas. "O consumidor deve ficar atento ao quanto pode pagar pelo imóvel", alerta a coordenadora  da Proteste.

Compra segura

Além de ficar de olho na questão financeira, os compradores também não podem deixar de levar em consideração a localização do imóvel, verificar o padrão de acabamento da unidade e pesquisar o histórico da construtora, afirma o corretor Luiz Alberto Sobrinho. "É importante ficar atento à localização, porque, no momento pode ser oferecida uma coisa e pode ser outra. Por isso, antes de fechar o negócio, é indicado ir ao terreno, no caso de imóvel na planta, ou ver como é o apartamento, para ter certeza de que se encaixa com o que se quer comprar".

Dilton  Fraga foi um dos clientes que  tomaram o empréstimo para depois fazer a  compra. "Aproveitei a oportunidade para  garantir o empréstimo e optei por comprar depois, com mais cuidado", afirma Fraga, que comprou um apartamento de dois quartos em Brotas. A  gerente comercial da Excelência Imobiliária, Ana Figueredo, diz que o ideal é fazer a análise de crédito para conseguir a aprovação e, então, sair em busca do imóvel.  

Como o  feirão  dá a possibilidade de o cliente fazer uma análise do metro quadrado, é indicado comparar as opções. "É importante saber quanto está sendo pedido naquela região e verificar as condições do negócio, para não comprar  por impulso", diz a coordenadora  da Proteste, Maria Inês Dolci.

Facebook Comments