Data de Hoje
17 May 2022
Foto: Reprodução/Record TV Itapoan

Funcionários de teatro são agredidos após exigirem carteira estudantil de meia-entrada

A diretoria do TCA (Teatro Castro Alves) denunciou, através de uma rede social, uma agressão sofrida por funcionários do teatro por estudantes que tentavam entrar no local.

Segundo o relato, os funcionários exigiram a carteira de estudante dos jovens para que eles pudessem pagar meia-entrada. Indignados com a exigência do documento, que agora é obrigatório, os agressores atingiram os profissionais com chutes e socos.

De acordo com a assessoria do TCA, o primeiro caso ocorreu no último sábado (15), quando o funcionário da portaria Cosme Belens foi agredido no rosto e precisou de atendimento médico.

A segunda agressão foi na noite da última sexta (21), quando o coordenador da portaria Valnei Santos foi atacado com chutes por um homem. As agressões foram registradas na 1ª DT (Delegacia Territorial), que investiga os casos. Os nomes dos acusados não foram divulgados.

Segundo a direção do teatro, todos os espaços culturais de salvador foram notificados pelo Ministério Público para cumprir uma lei federal de 2013. A lei determina que o estudante que comprou meia-entrada deve apresentar uma carteira estudantil antes de ter acesso ao espetáculo. Até então, era exigido apenas o comprovante de matrícula.

A lei tem o objetivo de dificultar as fraudes no acesso ao benefício da meia-entrada. A carteira estudantil é emitida por entidades como a une, a união nacional dos estudantes, ou pelos diretórios acadêmicos. A direção do teatro garante que já vinha alertando os frequentadores sobre a mudança desde o início do ano. Enquanto a polêmica continua, os funcionários se sentem desprotegidos e têm trabalhado com medo.

R7
Facebook Comments