Data de Hoje
18 September 2021

IAPI: PM nega truculência e afirma ter trocado tiros com grupo acusado de matar homem

De acordo com Polícia Civil, duas pessoas foram vítimas de bala perdida e grupo armado invadiu ônibus antes do incêndio

A Polícia Militar, a Polícia Civil e moradores apresentam versões distintas sobre o motivo que levou um grupo de pessoas que protestavam a atear fogo em um coletivo da linha IAPI/Terminal da França no início da tarde desta segunda-feira (14), no IAPI.

Um morador do bairro, que não quis se identificar, disse que o incêndio aconteceu por conta de uma ação violenta da Polícia Militar na Rua Antônio Balbino, na noite de domingo (13). Os agentes teriam disparado contra um grupo observava um corpo encontrado no Campo do Milho e baleado três pessoas.

A Polícia Civil apresentou a versão de que duas pessoas teriam sido vítimas de balas perdidas durante o assassinato de Welligton Ferreira de Jesus Jr, de 22 anos, no domingo (13)

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, o corpo de Welligton foi encontrado na Avenida 13 de Maio, no IAPI, com mais de 20 tiros e marcas de facão. Morador de Paripe, ele foi visto pela última vez no final da tarde de domingo, na Avenida Lima e Silva, no bairro da Liberdade.

O jovem desembarcava de um veículo, após retornar com um grupo de um passeio na Linha Verde, quando foi abordado e levado dentro de um carro por quatro homens. De acordo com o delegado Luis Henrique Costa, titular da 2ª Delegacia (DT/Lapinha), no momento da execução de Welligton, uma mãe e seu filho teriam sido vítimas de balas perdidas.

Os dois foram encaminhados para o hospital, receberam alta e já estão em casa. O delegado informou que nenhuma ação policial foi registrada na delegacia do local onde houve os disparos. Ele também afirmou que um grupo armado invadiu o coletivo em que foi ateado fogo, o que deixa dúvidas se foi uma ação de protesto dos moradores.

Em nota, a PM divulgou que agentes da Operação Gêmeos estavam no IAPI quando foram informados sobre elementos armados na localidade conhecida como Floresta, na rua 13 de maio, também no domingo.

“Ao chegar no local, a guarnição ouviu disparos de arma de fogo e avistou um grupo de cerca de 20 homens efetuando disparos contra a vítima. Ao avistarem a PM, os criminosos atiraram contra os policiais, que revidaram. Após a chegada do reforço, a PM realizou rondas em toda a região, mas os responsáveis não foram localizados”, disse a Polícia Militar, sem citar se alguém foi baleado.

Facebook Comments