Data de Hoje
13 June 2024
Jovem adotado encontra mãe biológica e se apaixona por ela (Foto: Reprodução/Facebook)

Jovem reencontra mãe biológica e se apaixona por ela

Ao procurar pela mãe biológica, que tinha visto pela última vez aos cinco anos, um jovem britânico teve uma reação nada comum ao reencontro – ele se apaixonou por ela. Tudo começou quando Shane Burke, 19 anos, conseguiu localizar Rose Bestall através do Facebook.

Ele tentou entrar em contato com a mãe através da rede social, mas não conseguiu. Ele então enviou uma mensagem e uma foto explicando sua história para o outro filho de Rose, Nicholas. A britânica reconheceu o filho imediatamente por conta da sua semelhança com o pai biológico.

Shane e Rose trocaram diversas mensagens antes de marcarem um reencontro emocionante. O rapaz se hospedou na casa da mãe biológica por algumas semanas, se reaproximando da família. Com o tempo, ele começou a se sentir confuso com os sentimentos que nutria pela mãe, e percebeu que tinha se apaixonado por ela.

Ele contou toda a verdade, e Rose inicialmente se afastou do rapaz, sem saber como reagir. “Eu sabia que os sentimentos de Shane por mim eram completamente inapropriados, mas eu tinha procurado por ele por muito tempo, e não queria vê-lo longe de mim”, disse a britânica em entrevista ao Daily Mail.

Ela conversou sobre a situação com o marido, que lhe disse para procurar o filho novamente e deixar claro que a relação deles jamais seria romântica. “Eu disse para ele que o amava incondicionalmente, como sua mãe, mas que nosso relacionamento nunca seria nada mais que este laço”, garantiu Rose.

Mãe e filho hoje se esforçaram para ter uma relação comum de mãe e filho. “Eu agora amo Rose porque ela é minha mãe, e nada mais. Eu ainda a chamo pelo nome porque ainda estamos nos conhecendo e se reajustando, mas acredito que eventualmente a chamarei de mãe”, disse Shane, que acredita ter sofrido de ‘Atração Sexual Genética’ (GSA), uma disfunção psiquiátrica.

A mulher, que tem outros quatro filhos, engravidou de Shane aos 15 anos. Na ocasião, os serviços sociais levaram o bebê e o deixaram com guardiões do estado porque julgaram que Rose ‘era muito jovem’ para cuidar dele. Ele foi adotado eventualmente, aos 5 anos, por um casal de Manchester.

Rose entrou com um processo na Justiça e tentou reaver a guarda do filho, mas o juiz responsável pelo caso julgou que o menino já estava bem situado com os seus pais adotivos.

Por Correio