Data de Hoje
29 July 2021
Foto reprodução

Justiça proíbe em Salvador peça teatral que retrata Jesus como mulher trans

Justiça barrou a apresentação do espetáculo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que retrata Jesus como uma mulher trans, marcado para acontecer nesta sexta-feira (27) no Espaço Cultural Barroquinha, em Salvador.

A decisão liminar, da 12ª Vara Cívil, atendeu a uma ação movida contra a Fundação Gregório de Mattos, responsável pelo espaço onde a peça seria encenada em duas sessões, às 18h e às 20h. O espetáculo faz parte da programação da 10ª edição do Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC Bahia), que ocupa diversos espaços culturais da capital baiana. Na quinta-feira (26), a peça foi apresentada no mesmo local.

No espetáculo, que dura cerca de uma hora, Jesus é uma mulher trans que remonta aos ensinamentos seculares para enaltecer mulheres, homossexuais, garotas de programa e outros excluídos. O cancelamento da peça pegou de surpresa muitas pessoas que foram ao local para assistir à apresentação. A Fundação Gregório de Matos informou que, juntamente com a produção do festival, já está tomando as providências jurídicas cabíveis e que vai recorrer da decisão.

Na liminar, o juiz Paulo Albiani Alves aponta que o grupo que entrou com o pedido de suspensão da peça alegou que o espetáculo é “extremamente ofensivo a moral da humanidade, que é em sua grande maioria crente no homem Jesus como filho de Deus”.

Além disso, a decisão aponta que o espetáculo “expôs ao ridículo” símbolos como a cruz e o próprio homem. A decisão ainda aponta que a peça “incitou crime de ódio e feriu a liberdade e a dignidade humana”.

A liminar diz que a Fundação Gregório de Matos tem prazo de 15 dias para contestar a decisão. A assessoria da fundação também informou que, em breve, vai divulgar quais medidas serão adotadas com relação à compra dos ingressos pelo público. As entradas custaram R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira).

O FIAC Bahia divulgu nota comentando a decisão. Confira o documento na íntegra:

Depois de algumas tentativas frustradas de cancelar as duas sessões do espetáculo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” em Salvador, uma das ações movidas contra sua temporada baiana conseguiu uma notificação judicial que impediu a realização da segunda sessão da montagem integrante da programação do Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia – FIAC Bahia. A decisão expedida pela 12ª Vara Cível foi movida contra a Fundação Gregório de Matos, responsável pela gestão do Espaço Cultural da Barroquinha, onde estava programada a sessão.

A citação chegou às 17h de hoje, 27/10, impossibilitando qualquer tentativa de reverter judicialmente a decisão do juiz de primeira instância, que, mesmo sem conhecer o espetáculo e baseado exclusivamente nas alegações dos proponentes da ação, considerou sua realização um desrespeito ao princípio constitucional previsto no art. 5º, VI da Constituição Federal, que versa sobre a liberdade de crença e livre exercício dos cultos religiosos.

“O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” realizou sua primeira sessão no FIAC Bahia ontem, dia 26/10, com ingressos esgotados e diante de uma plateia lotada, atenta e afetiva, que aplaudiu entusiasticamente todas as artistas envolvidas na peça. Para a equipe organizadora do FIAC Bahia, a ocorrência constitui-se uma censura explicita à liberdade de expressão, que tenta impedir a reflexão sobre temas importantes para toda a sociedade. É também uma afronta ao direto dos artistas de ocuparem espaços de visibilidade em nossa cidade, exercendo a liberdade de criar e se expressar a partir de narrativas múltiplas.

Reconhecendo o festival como um ambiente que estimula experiências e descobertas, o FIAC Bahia vem, em seus dez anos de realização, potencializando encontros com a riqueza de propostas artísticas diversificadas. Com isso em mente, nessa 10a edição toda nossa equipe se comprometeu a pensar o nosso tempo, com o desafio de construir experiências que possam contribuir para dar a relevância que a arte precisa ter no mundo. Não vamos parar.

Público em frente ao Espaço Barroquinha após saber que a peça seria cancelada na Bahia (Foto: Danutta Rodrigues/G1 BA)

Público em frente ao Espaço Barroquinha após saber que a peça seria cancelada na Bahia (Fotoreprodução: Danutta Rodrigues/G1 BA)

Espetáculo

A atriz e militante da causa trans, Renata Carvalho é quem dá voz e vida ao monólogo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”. A peça é dirigida por Natalia Mallo e traduzida do texto original da inglesa Jo Clifford.

Renata cria, em cena, o passado violento que sofreu e os inúmeros relatos de abusos sofridos pela comunidade LGBT. A intolerância e a exclusão da pessoa trans são motes da fala da personagem, que atenta o espectador para a não aceitação e para a sexualização dos corpos dessas pessoas.

Os pronomes e adjetivos são colocados no feminino, até mesmo para a figura de Deus. Durante a apresentação, Renata domina a plateia do alto do palco e também caminha por entre as fileiras de assentos, como um pregador que orienta seus fiéis sobre preceitos na condição da vida humana.

A peça possui batidas de funk e trocas de figurino da personagem. Ao longo da peça, a atriz relaciona as mais variadas parábolas bíblicas aos casos de intolerância, desrespeito e preconceito enfrentados pela população trans.

Peça 'O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu' foi cancelada em Jundiaí (Foto: Divulgação)

Peça ‘O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu’ foi cancelada em Jundiaí (Foto: Divulgação)

Facebook Comments