Data de Hoje
22 October 2021
3ª conf. Interterritorial (Foto:Elton Soledade / Click Notícias)

Juventude exige permanência da SNJ em 3ª Conferência Interterritoral de Juventude

Ocorreu nos dias 08 e 09 (hoje) deste mês a 3ª Conferência Territorial de Juventude. O Encontro Interterritorial de Juventude do Leste Baiano, promovido pelo Conselho Estadual de Juventude (Cejuve) em parceria com a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), reuniu jovens da região Metropolitana de Salvador e do Recôncavo Baiano (totalizando mais de vinte municípios), no auditório do Hotel Sol Victória Marina, no Corredor da Vitória. Evento sequente ao à 3ª Conferência Municipal de Juventude que ocorreu no ínicio do mês passado.

“As várias formas de mudar o Brasil” foi o tema do encontro e seu objetivo foi avaliar os impactos da Política Estadual de Juventude na vida dos jovens baianos, dialogar acerca da territorialização e da atuação do Conselho (Cejuve) e auxiliar o Governo Federal na elaboração do Plano Nacional de Juventude.

3ª Conf. Interterritorial -mesa de abertura (Foto:Elton Soledade)

3ª Conf. Interterritorial -mesa de abertura (Foto:Elton Soledade)

A abertura contou com a presença do secretário da SJDHDS, Geraldo Reis, e da superintendente de Direitos Humanos, Anhamona de Brito, entre outras pessoas de importância que se fizeram presentes na abertura, como: Cláudio Mangabeira, Secretário de Cultura e Juventude de Simões Filho; Agnaldo Rocha, presidente do Conselho Estadual de Juventude, e seu vice-presidente, Caruzo; e o Presidente do PT na Bahia, Everaldo.

A intensão central era organizar os jovens delegados titulares, suplentes e observadores para auxiliar no desenvolvimento do Plano de Juventude, no entanto durante os dois dias do evento houve alguns impasses com atrasos e furdunços.

Toda a programação de horário foi desrespeitada. Cláudio Mangabeira na bancada chamou a atenção da organização quanto ao assunto pois o evento que oficialmente deveria ter seu inicio as 14h00 com a Mesa de Abertura, acabou tendo inicio por volta das 15h30, devido a atrasos de pessoas como o secretário da SJDHDS, Geraldo Reis, sem contar que a maioria dos jovens delegados já estavam no local desde as 10h00 para o credenciamento.

3ª Conf. Interterritorial - Palestra (Foto:Elton Soledade / Click Notícias)

3ª Conf. Interterritorial – Palestra (Foto:Elton Soledade / Click Notícias)

Ocorreram manifestos durante o evento contra a Polícia Militar e a lei dos autos de resistência, contra a Intolerância religiosa e homofobia, e também em prol a permanência da Secretaria Nacional de Juventude – SNJ, uma conquista dos jovens brasileiros que está ameaçada a ser extinta devido a reforma ministerial sugerida pela presidente Dilma a poucos dias. E que cujo assunto já produziu um manifesto assinado por 175 organizações da sociedade civil, universidades e movimentos sociais que pedem a permanência da SNJ no governo federal para fortalecer as políticas de juventude no país.  

A superintendente de Direitos Humanos, Anhamona de Brito, prestou palestra no dia de abertura explanando informações referentes as relações “Juventude e Violência” e “Juventude e Desenvolvimento” abordando tópicos como mortalidade, escolaridade, preconceito racial, condições socio-econômicas, participação política juvenil, desemprego, retrocesso em direitos e reflexos da crise global – que é na verdade a crise do sistema capitalista. E defendeu que racismo e violência letal é um assunto estratégico, mas não o único. O que tem que ser analisado também é o desenvolvimento.

As discussões dos delegados a partir de cinco grupos de trabalhos – GT’s – giraram sobre 5 eixos: emancipação e autonomia juvenil, bem-estar juvenil, desenvolvimento da cidadania e organização juvenil, apoio à criatividade juvenil e reconhecimento das diversidades. Cada um dos GT’s desenvolveram duas propostas que serão levadas para a Conferência Estadual, que acontecerá nos dias 29, 30 e 31 de outubro, em Salvador, e servirão de base para construção do Plano Nacional de Juventude.

Foi estabelecido que os delegados que fosse eleitos para a Conferência Estadual fossem jovens de 15 a 29 anos, com 50% de seus componentes sendo do sexo feminino e que 80% fossem não brancos. Os motivos: Montar para o proximo nível da conferência uma delegação totalmente jovem, com equilibrio feminino para fortalecer o exercício da mulher em busca de seus direitos e representar a Bahia negra onde 80% de seus habitantes são negros e pardos.

Este encontro foi a última fase da etapa preparatória para a Conferência Estadual de Juventude.

Por: Elton Soledade / Click Notícias
Facebook Comments