Data de Hoje
22 June 2024
Foto: Reprodução

Lei Seca: Especialistas alertam os riscos de ser pego no teste do bafômetro

Em meio a tantos acidentes de trânsito por conta de motoristas que dirigem após beber, o Código Nacional de Trânsito passou a ter tolerância zero com quem comete esse tipo de infração. Alguns especialistas foram consultados para alertarem aos motoristas os riscos da ingestão de álcool por menor que seja a dose.

A constatação de que o motorista ingeriu bebida alcoolica é feita com o teste realizado pelo condutor no etilômetro. Em caso de medição acima de 0,38 mg/l, o condutor será conduzido para delegacia por incorrer no crime de trânsito no art. 306 do CTB (detenção de 6 meses a 3 anos, multa e suspensão do direito de dirigir). Caso seja a primeira vez que ele tenha sido pego embriagado, ele pode pagar fiança e responder o processo em liberdade.

Nos casos de resultados acima de zero e abaixo de 0,38 mg/l, bem como recusa ao teste, os condutores serão notificados e terão suas carteiras de habilitação recolhidas. “Caso o motorista se recuse a fazer o teste, será lavrada uma notificação de Recusa, com o valor de R$2.934,70, recolhimento do documento de habilitação (no prazo de 5 dias), retenção do veículo até a apresentação do  condutor habilitado. O carro será removido ao depósito caso outro condutor não seja apresentado”, explica Marcio Santos, Coordenador de Fiscalização de Veículos – Detran-BA, ao site Varela Notícias.

Se o motorista for reincidente e for pego dirigindo após ingerir bebida alcoólica durante um espaço de tempo de 12 meses, as consequências são bem piores: ele vai ter que pagar o dobro da multa anterior, além de ter a sua carteira de habilitação cassada. Por isto, motoristas, o melhor é não ingerir bebida alcoólica e dirigir por um intervalo de tempo inferior à 12 horas, pois as consequências podem ser bastante graves – além do prejuízo no bolso.

Click Notícias