Data de Hoje
21 June 2021

Mercado de Cajazeiras leva esperança de recomeço para ambulantes da região

Prefeitura está encaminhando a reforma ou construção de centros de compras modernos em outros dez bairros 

Com previsão de entrega para o mês de novembro, o Mercado de Cajazeiras recebe os últimos retoques antes da inauguração. Cheios de esperança, os ambulantes comemoram a possibilidade de regularizar seus meios de trabalho e sonham com o crescimento da clientela e o aumento das vendas. “Até bem pouco tempo, nossa realidade era trabalhar debaixo de sol e chuva, além do risco de ter a mercadoria apreendida pela fiscalização”, relata Alex Oliveira, um dos beneficiados com o novo equipamento público.
 
De responsabilidade da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), o mercado tem estrutura semelhante a um shopping center e vai comportar 133 permissionários, sendo que 80 são feirantes. O local está sendo preparado para as atividades de hortifrúti, açougue, frios, restaurantes, floricultura, barbearia e serviços. Os comerciantes já foram devidamente cadastrados e em breve receberão capacitação através de parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). 
page
 
Todos os contemplados são ambulantes que ocupavam a faixa central do bairro, conhecida como Rótula de Feirinha, em Cajazeiras X. Segundo a comissão regional que acompanha a construção do centro de compras, a ação da Prefeitura chega para suprir uma demanda antiga da população, que tinha de comprar hortifrutigranjeiros, carnes, peixes e afins no meio da rua, e agora passa a ter garantias de que vai adquirir um produto de qualidade, sob o controle rigoroso dos órgãos de regulação municipal.
 
Representante do Comitê do Mercado Popular de Cajazeiras, a ambulante Meire Matos atua no bairro há oito anos e fala da relação entre a Prefeitura e o comércio informal de Cajazeiras. “Toda a negociação ocorreu de forma tranquila. Esse mercado trará grandes benefícios para o bairro, ainda mais considerando que os ambulantes deixarão de vender na rua, sob sol e chuva. Todo esse sofrimento acaba agora. Temos orgulho deste mercado. Aqui deixaremos o trabalho informal e seremos empreendedores, vamos receber capacitação adequada e ter um trabalho mais digno”, diz.
 
Para a eletricista Aline Dias, que vive em Cajazeiras há mais de 30 anos, além dos benefícios para o comércio local, o novo mercado trará vantagens para o trânsito e para a limpeza pública. “O ganho principal dessa transferência de ambulantes da feirinha para o novo mercado será no trânsito de Cajazeiras, que há muito tempo é caótico e desorientado. E o comércio irregular contribui para o eterno engarrafamento daqui. Além disso, a questão da higiene será muito importante, porque aqui onde fica a feira antiga é o mesmo lugar que trazemos nossas crianças no dia-a-dia. Imagine a imundície e os riscos sanitários a que estamos submetidos nos dias subsequentes à montagem das barracas que vendem peixes, carnes, miúdos de animal. Com todos se transferindo para o mercado tudo muda, tenho certeza”.
 
Visita – Ontem (29), os ambulantes estiveram reunidos com a secretária da Ordem Pública, Rosemma Maluf, e visitaram o canteiro de obras. De acordo com a Semop, durante a visita foram apresentados novamente aos comerciantes os benefícios e os deveres que eles devem ter para ocupar o espaço, como o cuidado com a higiene e a atenção para conservação dos alimentos e do próprio ambiente de trabalho. “Formalizamos uma comissão de feirantes para facilitar a transição. Devido à quantidade estabelecida de boxes, os nomes dos permissionários serão escolhidos a partir dessa comissão, que se valerá do critério de antiguidade. Isso vai excluir oportunistas que se aproveitaram da iminência da inauguração para transferir suas bancas para a Rótula da Feirinha. Estamos atuando de forma transparente de maneira a garantir que todos tenhamos direitos respeitados”, afirma a secretária Rosemma Maluf.
 
Capacitação – De acordo com a Semop, para ingressar no novo mercado os permissionários passarão por treinamento coordenado pela secretaria e pelo Sebrae. Antes, porém, os ambulantes precisam estar cadastrados como microempreendedores individuais para ter acesso a programas de acesso ao crédito e demais benefícios. O mesmo procedimento foi adotado no Mercado de Periperi, já entregue. Outros equipamentos estão em obras, como o do Curtume, na Baixa do Fiscal, das Flores e Dois de Julho, ambos no Centro da cidade. 
Facebook Comments