Metade dos recursos da Lei Aldir Blanc na Bahia é destinada à cultura negra

Um decreto publicado no Diário Oficial do Estado deste sábado (26) estabelece a destinação de 50% dos recursos da Lei Aldir Blanc na Bahia para o setor das linguagens culturais da população negra. A lei federal foi criada para garantir renda emergencial para trabalhadores da cultura e manutenção dos espaços culturais brasileiros durante a pandemia de Covid‐19.

Para acesso à renda emergencial, o Governo do Estado tem feito o cadastramento de artistas, produtores, técnicos, oficineiros, professores de escolas de arte e capoeira, mestres da cultura popular e demais envolvidos no fazer cultural.

Na Bahia serão destinados R$ 110 milhões. “Mais uma vez desponta como referência nas políticas para o povo negro, inclusive reconhecendo a presença e atuação da nossa gente nos campos da cultura, também considerando as expressões dos povos e comunidades tradicionais. Esta medida será fundamental para socorrer profissionais tão prejudicados pela pandemia”, destacou a titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis.

 

Varela notícias

Facebook Comments