Data de Hoje
2 August 2021

Morre João Ubaldo Ribeiro


Morreu na madrugada desta sexta-feira (18) o escritor João Ubaldo Ribeiro, aos 73 anos. O acadêmico, que estava em sua casa, no Rio de Janeiro,  foi vítima de uma embolia pulmonar.João Ubaldo deixa quatro filhos — dois do casamento com Mônica Maria Roters e outros dois com Berenice de Carvalho Batella Ribeiro.Nascido em Itaparica, na Bahia, dia 23 de janeiro de 1941, uma quinta-feira, na casa de seu avô materno, à Rua do Canal, número um, João Ubaldo Osório Pimentel Ribeiro era filho primogênito de Maria Felipa Osório Pimentel e Manoel Ribeiro. O casal teria mais dois filhos: Sonia Maria e Manoel.

Era o 7º ocupante da cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras (ABL) e autor de livros como “Viva o Povo Brasileiro”, “A casa dos budas ditosos”,”Sargento Getúlio” e “O sorriso do  lagarto”.


Em 2008, João Ubaldo Ribeiro ganhou o prêmio Camões, considerado o mais importante da literatura em língua portuguesa.


Formou-se em direito pela UFBA-Universidade Federal da Bahia. Era pós-graduado em Administração Pública pela mesma universidade e mestre em Administração Pública e Ciência Política pela Universidade da Califórnia do Sul.

Foi repórter do Jornal da Bahia e, depois, redator, colunista, editorialista, chefe de reportagem e editor-chefe da Tribuna da Bahia.

Suas obras foram adaptadas para o cinema, a televisão e o teatro

Para o cinema– Sargento Getúlio. Direção de Hermano Penna, 1983.

Para a televisão– O Sorriso do Lagarto. Adaptação de Walter Negrão e Geraldo Carneiro. Direção de Roberto Talma. Rede Globo, 1991.

— O Santo Que não Acreditava em Deus (caso especial). Direção de Roberto Talma. Rede Globo, 1994.

— O Compadre de Ogum (minissérie). Do romance Os Pastores da Noite, de Jorge Amado. Direção de Roberto Talma. Rede Globo, 1994.

— O Poder da Arte e da Palavra (teleteatro – Brasil especial). Com Geraldo Carneiro. Direção de Tizuka Yamazaki. Rede Globo, 1994.

— A Maldita (caso especial). Do conto “Patrocinando a arte”. Direção de Reinaldo Boury. Rede Globo, 1995.
— Danada de Sabida (terça nobre). Do conto “O artista que veio aqui dançar com as moças”. Com Geraldo Carneiro. Direção de Reinaldo Boury. TV Bahia, 1997.

Para o teatro– A casa dos Budas Ditosos. Adaptação e Direção de Domingos de Oliveira, 2003 – 2010. Protagonizado pela atriz Fernanda Torres.

 

 

Facebook Comments