Data de Hoje
12 April 2021

Motoristas aprovam nova ligação entre CAB e Narandiba

 
Motoristas aprovam nova ligação entre CAB e Narandiba

 

Motoristas que utilizam o acesso a Narandiba aprovaram a liberação parcial da via marginal que liga a Av. Paralela ao bairro, como parte das obras do complexo de viadutos do Imbuí, com conclusão prevista para até agosto próximo.
Desde a última segunda-feira, quem trafega para Narandiba deve seguir pela nova entrada no final da 3ª avenida do Centro Administrativo da Bahia (CAB), próximo ao Colégio Simon Bolivar, após a parada de ônibus da passarela.
No local, cujo antigo acesso foi bloqueado, uma placa informa sobre o caminho para Narandiba e Cabula, onde está localizado o Hospital Geral Roberto Santos (HGRS).
Segundo Sérgio Silva, diretor de obras estruturantes da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), órgão à frente do projeto, essa intervenção deve ser concluída até o próximo fim de semana, com alargamento da via em frente à sede da Odebrecht.

Rota
Para quem sai do CAB pela 3ª avenida (onde estão a União das Prefeituras da Bahia e a Fundação Luís Eduardo Magalhães) só será possível acessar a Paralela nas saídas próximas ao prédio do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).
Acostumado a cortar caminho pelo CAB, para fugir do congestionamento na Paralela, o contador Ricardo Correia, 43, que mora em Patamares, gostou do novo acesso. "Melhorou muito a saída do CAB, que estava sempre congestionada na ligação com a Paralela", disse.
Moradora de São Rafael, a administradora Fabiane Muniz, 37, utiliza o trecho diariamente. "Nesses dois dias, essa via encurtou ainda mais a distância com a Av. Tancredo Neves, onde trabalho. Quando estiver pronta, creio que vai melhorar", avaliou.
Para o funcionário público Gustavo Mesquita, 52, a via "só não está 100%" por causa do congestionamento na altura da Odebrecht. "O trecho ainda está em obras, por isso forma-se um pequeno congestionamento, se comparado com a avenida Paralela", observou.
Conforme o gestor da Conder, Sérgio Silva, o trecho em questão não foi concluído junto com o desvio por questões logísticas. "Fazer obra em área urbana, sem interditar a via, é sempre complicado. Isso porque não podemos colocar muitos equipamentos", argumentou.
De acordo com Silva, faltam apenas alguns detalhes para a conclusão da via, que terá três faixas de rolamento. "Coisas como a conclusão do canteiro central, do meio-fio e do paisagismo. No fim de semana, tudo deverá estar pronto", ele prevê.

 

 

Foto: Motoristas aprovam nova ligação entre CAB e Narandiba</p>
<p>Motoristas que utilizam o acesso a Narandiba aprovaram a liberação parcial da via marginal que liga a Av. Paralela ao bairro, como parte das obras do complexo de viadutos do Imbuí, com conclusão prevista para até agosto próximo.<br />
Desde a última segunda-feira, quem trafega para Narandiba deve seguir pela nova entrada no final da 3ª avenida do Centro Administrativo da Bahia (CAB), próximo ao Colégio Simon Bolivar, após a parada de ônibus da passarela.<br />
No local, cujo antigo acesso foi bloqueado, uma placa informa sobre o caminho para Narandiba e Cabula, onde está localizado o Hospital Geral Roberto Santos (HGRS).<br />
Segundo Sérgio Silva, diretor de obras estruturantes da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), órgão à frente do projeto,  essa intervenção deve ser concluída até o próximo fim de semana,  com alargamento da via em frente à sede da Odebrecht.</p>
<p>Rota<br />
Para quem sai do CAB pela 3ª avenida (onde estão a União das Prefeituras da Bahia e a Fundação Luís Eduardo Magalhães) só será possível acessar a Paralela nas saídas próximas ao prédio do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).<br />
Acostumado a cortar caminho pelo CAB, para fugir do congestionamento na Paralela, o contador Ricardo Correia, 43, que mora em Patamares, gostou do novo acesso. "Melhorou muito a saída do CAB, que estava sempre congestionada na ligação com a Paralela", disse.<br />
Moradora de São Rafael, a administradora Fabiane Muniz, 37, utiliza o trecho diariamente. "Nesses dois dias, essa via encurtou ainda mais a distância com a Av. Tancredo Neves, onde trabalho. Quando estiver pronta, creio que vai melhorar", avaliou.<br />
Para o funcionário público Gustavo Mesquita, 52, a via "só não está 100%" por causa do congestionamento na altura da Odebrecht. "O trecho ainda está em obras, por isso forma-se um pequeno congestionamento, se comparado com a avenida Paralela", observou.<br />
Conforme o gestor da Conder, Sérgio Silva, o trecho em questão não foi concluído junto com o desvio por questões logísticas. "Fazer obra em área urbana, sem interditar a via, é sempre complicado. Isso porque não podemos colocar muitos equipamentos", argumentou.<br />
De acordo com Silva, faltam apenas alguns detalhes para a conclusão da via, que terá três faixas de rolamento. "Coisas como a conclusão do canteiro central, do meio-fio e do paisagismo. No fim de semana, tudo deverá estar pronto", ele prevê.

 

 

 

Facebook Comments