Data de Hoje
26 September 2021

Neto diz que Wagner quer ”ameaçar conquistas como o Bilhete Único e Domingo é Meia”

Prefeito de Salvador, ACM Neto

O prefeito ACM Neto reafirmou hoje (14) que não vai permitir que o governador Jaques Wagner interfira na licitação do transporte público de Salvador com “objetivos eleitorais e para favorecer os empresários”. Neto disse que faz licitações para privilegiar o setor empresarial, como aconteceu com a Arena Fonte Nova, que a população vai pagar 100 milhões/ano, o metrô, outro tanto, e o ferry-boat, a Prefeitura está pensando na população que não suporta mais um transporte público com pouca eficiência. “Não queremos dar dinheiro aos empresários. Pelo contrário, queremos que aqueles que irão explorar o sistema paguem por isso, o que nos levou a optar pela outorga. Todo dinheiro que conseguirmos com a licitação será revertido para a cidade, para melhorar o próprio serviço. A gente não tem a mentalidade do governo, do PT, que, como no caso do ferry-boat, faz um negócio totalmente obscuro para beneficiar somente quem tem o dinheiro”, frisou o prefeito. Segundo Neto, por conta da falta de gestão e de licitações que não levam em conta o interesse público, o governo do estado está quebrado. “Nós em Salvador estamos arrumando as finanças com responsabilidade, fazendo justiça social e fiscal e obras para a cidade que já mudou para bem melhor, como reconhece a população. Fazemos isso com responsabilidade, com seriedade. Não fazemos licitação apenas para beneficiar empresários ou apadrinhados políticos”, enfatizou. O prefeito afirmou que foi o governo do estado que tornou o ofício enviado por Wagner público. Além disso, ele negou que haverá aumentos no valor da tarifa de ônibus. “O governador tenta chantagear a população com ameaças vazias pensando no discurso eleitoral sem fundamento. Não vai haver aumento na tarifa este ano. Não adianta fazer terrorismo eleitoral”. ACM Neto salientou ainda que o governador parece estar “disposto a acabar com conquistas da população de Salvador”, como o Domingo é Meia e o Bilhete Único. “Com a licitação do transporte público, vamos poder ampliar, por exemplo, o Bilhete Único. Mas o governador, que até hoje não implantou o Domingo é Meia na Região Metropolitana de Salvador, pois não tem vontade política para isso, parece querer ameaçar esses benefícios. Mas não vamos deixar”.

Facebook Comments