Data de Hoje
20 September 2021

Norma prevê que mototáxis devem ter, no máximo, quatro anos de uso

Os mototaxistas terão 120 dias após a aprovação da lei para se adequar às normas, mas o regulamento já está quase pronto, em fase de ajustes finais

A prefeitura vai enviar um novo projeto de lei para regular a profissão dos mototaxistas. Elaborado pela Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), o texto será encaminhado à Câmara Municipal para votação. A informação foi divulgada pelo prefeito ACM Neto ontem. “Estamos em estágio bastante avançado para regulamentação de atividade de mototáxi na prefeitura. Queremos ter todos os tipos de transporte regulados e fiscalizados, dentro de um sistema que funcione racionalmente”, disse o prefeito.
Segundo o titular da Semob, Fábio Mota, os mototaxistas terão 120 dias após a aprovação da lei para se adequar às normas, mas o regulamento já está quase pronto, em fase de ajustes finais. No novo projeto, as motos terão a cor amarela, placa vermelha, e devem ter, no máximo, quatro anos de uso. De acordo com o secretário, existe o entendimento de que esse tipo de transporte deve ser feito apenas em trajetos curtos.

“Entendemos que o sistema deve ser usado para viagens curtas. Todos sabemos da exposição que é estar em cima de uma moto. Não vamos admitir um trajeto que seja de Paripe até Itapuã, por exemplo”, disse. Para que isso aconteça, a cidade será dividida em áreas. Há nove meses, um grupo de trabalho dentro da secretaria está elaborando o regulamento.

O secretário afirmou também que estão acontecendo reuniões com associações de mototaxistas e de taxistas. “Estamos fazendo uma regulamentação que seja compatível com táxi, com transporte público”, explicou. O projeto estabelece que os pontos não fiquem próximo aos pontos de ônibus, como acontece atualmente. Segundo o Sindicato dos Motociclistas, Motoboys e Mototaxistas (Sindmoto), cerca de 5 mil mototaxistas atuam na cidade.

Por: iBahia

Facebook Comments