Data de Hoje
6 August 2021

Passarela de Lauro: prazo se esgota e Conder não cumpre o que prometeu

 população de Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador (RMS), infelizmente, amarga o descaso por parte da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) que está há dois anos construindo uma passarela na região do Hospital Menandro de Farias.



No dia 2 de julho deste ano, uma reportagem de um jornal local voltou a questionar o órgão sobre o dia em que a passarela seria finalmente inaugurada. Desde maio, o site acompanha o imbróglio que envolve a Conder e a construtora Pejota, responsável pela obra.



Entretando, no início do mês, um fio de esperança surgiu para os laurofreitenses. Isso porque, o presidente da Conder, José Ubiratan Cardoso Matos, procurado pela reportagem, deu um parecer sobre quando a obra, cujo investimento foi de aproximadamente R$ 2.5 milhões. "Fica pronta em 20 dias", atestou Ubirajara, que reafirmou também ter feito todos os repasses que faltavam à empresa responsável pela obra, a Pejota Construções e Terraplanagem.



Vinte dias depois e eis que a passarela continua do mesmo jeito. Nada de inauguração, anúncio para tal ou novo parecer da Conder. 
Em maio, o prefeito de Lauro de Freitas, Márcio Paiva (PP), explicou que a obra é do Governo Estadual e que, “por conta dela, estamos impossibilitados de fazermos nossa obra de mobilidade e não sabemos quando ela irá terminar. Já entramos em contato com a Conder e não nos disseram nada”, afirmou. Segundo Paiva, as obras de mobilidade envolvem o alargamento da pista em alguns pontos e uma passarela no KM 1, “que só podem ser iniciadas quando esta passarela da Conder ficar pronta”, ressaltou.





No mesmo período, por meio da assessoria, a Conder confirmou que não havia prazo para que as obras fossem concluídas.   revelou à reportagem que o tempo inicial para entrega seria de seis meses. Porém, mudanças no projeto da passarela geraram o atraso e, por isso, um novo pedido de liberação da verba junto à Caixa Econômica Federal precisou ser feito. Ainda conforme esta fonte, a Conder só repassou 5% do valor da obra desde o início dos trabalhos, já que a Caixa ainda não liberou a verba. A fonte confirmou que este atraso nos repasses também atrasa a obra já que não há como pagar os operários.



A Pejota foi procurada, mas não atendeu as ligações. Já a Conder, por meio da assessoria, não soube esclarecer os motivos do atraso nas obras. Enrtetanto, o presidente da Conder garante que falta apenas uma entrega da Desal e "a passarela está praticamente pronta. Faltam algumas peças. Mas, 90% já foi construído", ressaltou.

Facebook Comments