Data de Hoje
24 February 2024

Pelo menos 15 empresas baianas serão afetadas após fechamento de fábrica da Petrobrás

Após apresentar resultado negativo de cerca de R$ 200 milhões em 2017, a Petrobras anunciou o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados da Bahia (Fafen-BA), localizada no Polo Petroquímico de Camaçari. O anúncio foi feito na noite de segunda (19) e o fechamento deve ocorrer até o final do primeiro semestre deste ano.

O fechamento da fábrica, que tem na sua lista de produção a ureia, amônia e gás carbônico, afetará no funcionamento de pelo menos 15 outras fábricas do território baiano. Os dirigentes dessas unidades e autoridades públicas estão debatendo o assunto e temem impactos na produção.

Em nota, a Petrobras apresentou possíveis soluções referentes a falta que tais substâncias farão. Quanto ao abastecimento do mercado de ureia fertilizante, será feito por importação, “sem prejuízo para as companhias misturadoras de adubo”, e ainda disse que realizará investimentos no Porto de Aratu para viabilizar a importação de amônia e o atendimento ao Polo Petroquímico de Camaçari. Para CO2, há alternativas de suprimento no Polo.

A Carbonor, uma das empresas que será afetada, importa 100% do gás carbônico usado na sua produção. Para o diretor industrial da fábrica, Ascanio Muniz Pepe, a solução apresentada pela Petrobras não lhe parece tão simples assim.

“Esse assunto precisa ser debatido com mais profundidade, porque o posicionamento da Fafen foi muito simplista, como se o efeito fosse mínimo, mas não é nem para as empresas nem para as pessoas. Estamos trabalhando para não pararmos nossa produção, temos algumas alternativas, mas essa medida afeta os negócios”, disse.

A empresa, que irá solicitar reunião com os representantes da Fafen-BA para discutir o caso, ainda sugere que essa decisão pode resultar na redução de postos de trabalho. A previsão é de que 700 pessoas tenham seus empregos afetados por conta da medida.

Vizinha do estado baiano, a Fafen de Sergipe também será fechada após apresentar prejuízo de R$ 600 milhões no ano passado. A Petrobrás informou que um plano detalhado deverá ser divulgado em abril.