Data de Hoje
24 September 2021

Polícia já tem suspeitos de matar estudante em frente a colégio no Subúrbio

Corpo de Joabe de Jesus da Silva, 17 anos, foi sepultado no Cemitério Quinta dos Lázaros; amigos fizeram protesto e homenagem

Amigos e familiares de Joabe de Jesus da Silva, 17 anos, acompanharam, no final da tarde desta sexta-feira (18), o enterro do estudante, que aconteceu no Cemitério Quinta dos Lázaros, em Salvador

Joabe foi morto a tiros na tarde da quinta-feira (17), em frente ao Colégio Estadual Sara Violeta de Mello Kertesz, no bairro de Rio Sena, no Subúrbio. De acordo com a Polícia Civil, o aluno estava fardado, em frente à escola, na rua Getúlio Vargas, quando dois homens passaram em uma moto atirando. Ele foi atingido por três disparos: na virilha, costas e cabeça, chegou a ser socorrido por uma viatura ao Hospital do Subúrbio, mas não resistiu aos ferimentos.

Horas antes do enterro, o grupo fez um protesto pelas ruas do bairro de Rio Sena, passou em frente ao colégio – que não funcionou hoje – e prestou uma homenagem ao adolescente em frente à casa onde o garoto morava com a família, na rua do Sapinho.

No final da tarde, a Polícia Civil afirmou que o crime é encarado como execução, e que já há indícios da autoria; no entanto, a identidade do suspeito e a motivação do assassinato não foram divulgadas. O caso segue sob responsabilidade do delegado Reinaldo Mangabeira, da 3ª Delegacia de Homicídios.

Crime

Segundo relatos de amigos e familiares, Joabe havia reatado o relacionamento com uma adolescente de 12 anos, com quem namorava há mais de um ano. O rompimento da relação havia durado uma semama. Um dia antes de ser assassinado, Joabe reatou o namoro com a adolescente.

No período de rompimento, ainda segundo amigos, o estudante teria ficado com uma outra adolescente, que seria ex-namorada de um criminoso da região, que não teve a identidade revelada. Inconformado com o envolvimento da ex-namorada com Joabe, o suposto criminoso teria assassinado o estudante.

“Nós já namorávamos há um ano. Terminamos o namoro, mas só conseguimos ficar uma semana distantes. Na quinta-feira, um dia antes de ele morrer, nós conversamos e resolvermos voltar. Não sei o que aconteceu. Todos os momentos com ele eram especiais”, contou a namorada.

Popular ente os colegas da escola e no bairro onde morava, Joabe era considerado brincalhão, companheiro e tinha o hábito de ajudar os amigos. “Ele era um irmão para mim. Sempre estava perto, sorrindo. Dei conselho para ele vária vezes para voltar para a namorada, que não valia a pena só ficar. Disse várias vezes para ele tomar cuidado. Perdi um grande amigo”, lamentou o estudante Jonata dos Santos, 20.

Perdão

Durante o enterro, o segurança Julio Silva, 37, pai de Joabe, afirmou que perdoava o autor da morte do filho. “Entendo que meu filho está com Deus, que ele foi chamado. Sei que nada trará meu filho de volta, mas eu perdoo quem fez isso contra ele. Não perdi meu filho, Deus o ganhou”, disse.

De joelhos, a mãe do estudante, a assistente administrativa Lindinalva Silva, pediu justiça. “Eu peço paz. Peço pelo amor de Deus, que a presidenta Dilma, que o governador, o prefeito, pela benção da mãe deles, que eles sintam a dor de uma perda e tomem uma providência para isso”, cobrou.

Líderes da Igreja Pentecostal Santuário de Deus, os pais do adolescente disseram que ele era um bom filho e não possuía envolvimento com drogas. “Meu filho era um menino bom, nunca se envolveu com nada ruim. Era muito bonito, muito assediado, namorador. Vivia chamando todo mundo de ‘meu amor’. Meu filho nunca se envolveu com drogas, com nada disso”, disse.

Facebook Comments