Data de Hoje
21 June 2021

Por que o corpo “pai de família” é perigoso

Quando o fenômeno do corpo “pai de família” se tornou viral nos últimos meses, eu cobri meus olhos e ouvidos. E tampei o nariz também, porque francamente, não quero nem sentir o cheiro desta tendência

Mesmo assim, eu não pude escapar dela. Amigos, colegas de trabalho e meios de comunicação me encheram de perguntas, que variavam entre diferentes versões de: como líder de uma marca conhecida por colocar homens com o abdômen “tanquinho” na capa, você não acha irônico que as mulheres na verdade prefiram homens com uma barriguinha

Hum, não.

Pra começar, eu não acredito em nada disso. Como um homem de 46 anos com um trabalho exigente, duas crianças cheias de atividades e jeans que ficam apertados com uma facilidade enervante, tenho certeza de que não há pôsteres de mim (ou de ninguém parecido comigo) pendurados nas paredes dos dormitórios universitários ao redor dos Estados Unidos.

 

No entanto, foi uma estudante universitária de Clemsom que começou a conversa com um post chamado “Por que as garotas adoram o corpo ‘pai de família’” em seu blog. Mackenzie Pearson escreveu que suas amigas se sentem muito atraídas por homens com corpos que gritam “Eu vou à academia às vezes, mas também bebo bastante nos finais de semana e gosto de comer 8 pedaços de pizza por vez” porque elas acham isso mais “natural, humano e atraente.”

Aham. Com certeza.

Pesquisas também mostram que jovens mulheres valorizam homens que gostam de fazer caminhadas na praia e são carinhosos com filhotes de cachorro. Mas nada disso significa que elas irão ignorar os imperativos biológicos na hora de escolher um companheiro, seja por uma noite ou para a vida.

 

Aceite isso: o corpo estilo pai de família é apenas um precursor do corpo estilo defunto, e as mulheres sabem disso. Sobrevivem os mais fortes, não os mais gordos. Os parceiros sexuais mais desejados possuem o melhor preparo físico, porque o melhor DNA sempre vence, e ser um bom pai é difícil.

Ou seja: Sexy = Saudável, e sempre vai ser. Precisamos chamar Charles Darwin até a sala de cirurgia para extirpar ideias estúpidas da consciência pública.

Voltando ao corpo “pai de família”. Aqueles oito pedaços de pizza que eles comem, não apenas incham o abdômen, eles acumulam gordura abdominal, que forma uma camada tóxica ao redor de seus órgãos internos. O seu corpinho adorável pode causar diversos problemas de saúde: inflamação, doenças cardíacas, diabetes e derrame. Um estudo de 2008, feito com mais de 360 mil pessoas mostrou que a gordura abdominal dobra o seu risco de morte prematura.

 

Por isso, para mim, o termo é outra coisa: uma desculpa — para se exercitar menos, para se importar menos com o corpo, já que a minha esposa, e talvez até a estudante universitária de Clemson, irão gostar de mim como eu sou, não importa o quão rechonchudo eu fique. Isso é perigoso, literalmente.

A Men’s Health não falou muito sobre o corpo “pai de família” nos últimos meses, porque a) tentamos nos manter acima de ideias estúpidas, e b) achávamos (esperávamos) que a “tendência” fosse desaparecer em 15 minutos. Mas essa semana a ideia voltou à mesa de discussão quando pesquisadores da Universidade Northwestern anunciaram que, depois de estudar como o corpo de 10.253 homens mudou ao longo de 14 anos, eles podem relatar que o corpo “pai de família” realmente existe. Anotado.

 

Um redator do Washington Post analisou as estatísticas e determinou que, somente nos Estados Unidos, existem 27,8 milhões de homens com esse tipo de corpo. “Se eles fossem um estado, seriam maiores que o Texas,” o Post afirmou. “Se fossem um país, seriam maiores que a Austrália.”

Sim, maiores. Maiores na região do abdômen. Maiores riscos de saúde. Maiores na sala de emergência, e maiores a sete palmos.

 

O corpo “pai de família” está sendo anunciado como uma ótima notícia para homens reais e para as mulheres que adoram se aconchegar em suas barrigas confortáveis. Não é. Mas talvez esteja sendo tão aceito porque é uma permissão para viver uma vida de moderação – sem contar cada caloria ou negar todos os biscoitos. Essa é a mensagem que a Men’s Health tem publicado nos últimos 27 anos. Coma bem. Divirta-se. Mas nunca ignore a linha tênue entre moderação e excesso – especialmente quando você envelhece, porque a maldita linha muda de lugar.

Os pesquisadores da Northwestern definiram uma causa para esse efeito: conforme os homens ficam mais velhos – e conforme seu metabolismo naturalmente desacelera e a testosterona diminui, conforme eles passam a ter que lidar com carreiras exigentes e o horário do futebol dos filhos – a barriga tende a ficar cada vez maior. Eu vejo esta tendência todos os dias no espelho.

 

Eu posso não ter um corpo “pai de família”, mas muitas vezes sinto que estou cambaleando em direção a ele. E eu não fico parado esperando isso acontecer; eu me mexo. Um treino de 10 minutos antes de sair para o escritório. Um pouco de basquete na hora do almoço. Tenho que me mexer, e rápido. É muito mais fácil prevenir a barriguinha do que perder uma já estabelecida.

 

Homens, não se enganem. Se você enxergar um corpo “pai de família” no espelho, ele só deve significar uma coisa para você: está na hora de ir para a academia.

 

Morte ao corpo “pai de família”! Mate-o antes que ele te mate!

Por Bill Phillips, editor chefe da revista Men’s Health e autor de

 

Facebook Comments