Data de Hoje
21 February 2024

Prefeito de Simões Filho recusa 13º salário e veta vice e secretários de receber o benefício; Apenas vereadores irão receber

Depois da polêmica votação do Projeto de lei 001/2018, que em sua primeira versão apresentada na sessão do dia 27/02 na Câmara de vereadores sugeria a aprovação dos parlamentares para pagamento do décimo terceiro salário a Prefeito, Vice- Prefeito, Secretários e Vereadores de Simões Filho, e gerou muita polêmica na cidade. A pergunta que não quer calar é: “Qual seria o motivo da retirada dos componentes do Executivo do Projeto e porque a mesa diretora da Câmara teria comunicado o fato de última hora propondo apenas que o décimo seja pago apenas aos vereadores?”

Questionamentos a parte, ao que parece, o chefe do Executivo, o prefeito Diógenes Tolentino – Dinha (PMDB), resolveu usar o bom senso e ouviu o apelo da população que se colocou em sua maioria, a todo tempo, contra a aprovação do projeto, mesmo sabendo da legalidade do mesmo. Muitos moradores chegaram a ir ao plenário protestar, alegando ser imoral a aprovação do décimo terceiro salário.

Dinha, teria solicitado dos autores da lei a retirada do seu nome e do nome do vice-prefeito e dos secretários, por entender que no momento a cidade ainda precisa avançar em muitos aspectos, mas o mesmo bom senso, não foi observado por alguns vereadores que parecem não estar em sintonia com o líder politico e chefe do executivo municipal, e na noite da última terça-feira (13/3), mesmo depois de muitas manifestações da população que estava assistindo a sessão,  aprovaram o projeto com 11 votos a  favor e seis contra.

Os parlamentares Elimário Lima (PSDB), Cleiton Aparecido (SD), Everaldo Silva (PRP), Laercio Valentim (PSB), Manoel Carteiro (PSB) e Sandro Moreira (PSL) votam contra o décimo terceiro sálario.

A favor do projeto votaram os vereadores Adailton Caçambeiro (PRP), Alfredo Assis (PP), Devaldo Soares (SD), Deni da Metalúrgica (PSD), Erivaldo Canjirana (PSL), Eri Costa (DEM), Everton Paim (PSD), Jailson Soares (PP), José Arnoldo (PRB), Manoel Almeida (PSD),Orlando de Amadeu (PSDB).

A vereadora Katia Cristina (PMDB), não estava presente na sessão e o presidente da Casa, Genivaldo Lima (DEM) só realiza o voto em caso de empate, o que não aconteceu.

Três dos edis que se posicionaram contra (Elimário Lima,Cleiton Aparecido e Everaldo Silva) sinalizaram que farão a doação do valor a receber para algumas instituições de caridade do município, e a população segue pedindo aos parlamentares que revoguem a lei para que o dinheiro do décimo terceiro salário seja usado em melhorias nas diversas áreas que carecem de mais atenção dos gestores.