Data de Hoje
19 May 2021

Prefeitura de Salvador não repassa verbas de creches como deveria e professores e dirigentes vão protestar na mudança do Garcia.

Mais de mil professores, funcionários e dirigentes de 239 creches comunitárias, que atendem 82% de toda demanda de educação infantil na primeira infância em Salvador, prometem protestar no carnaval na mudança do Garcia. De acordo com o presidente da Central das Creches do Brasil Cleriston Silva, a manifestação tem como objetivo mostrar a precariedade da educação infantil e a falta de vagas em creches na capital.

“Esse ano de 2016, as unidades de creches comunitárias responsável por 82% da educação infantil nas creches decidiram não abrir as portas enquanto a prefeitura de Salvador não assinar um TAC com o MPE para corrigir os erros da gestão pública municipal com a educação infantil na primeira infância e a falta de vagas em creches”, garante Cleriston.

Ainda de acordo com o presidente da central, as creches que declararam o censo escolar através do INEP – Instituto de Pesquisa Anísio Teixeira, e através do cruzamento de dados com o FNDE garantiram os recursos do Fundo de manutenção da e desenvolvimento da educação básica e valorização do professor – FUNDEB, para o exercício de 2015, não receberam como deveriam e muitas não receberam nem um centavo de repasse da prefeitura e tiveram que fechar as portas.

O mais grave é que as creches comunitárias foram obrigadas pela Secretaria Municipal de Educação a assinarem um documento confirmando que a prefeitura não devia mais nada para as unidades comunitárias referente ao exercício de 2015, porém, as mesmas não receberam os valores que deveriam garantidos pelo FNDE repassados pelo governo federal à prefeitura de Salvador.

Milhares de mães que não encontram vagas em creches públicas ou conveniadas estão sendo convocadas pela central das creches do Brasil para a manifestação por creches públicas de qualidade na mudança do Garcia. Cleriston Silva acredita que o movimento por creches chamará a atenção do mundo para a crise instalada na educação infantil na primeira infância e indaga: o que foi feito com os recursos das creches comunitárias, filantrópicas e confessionais de 2014 e 2015 que o governo federal depositou na conta da prefeitura

 

 Central das creches do Brasil

Facebook Comments