Data de Hoje
24 April 2024

Prefeitura promove capacitação em segurança alimentar para comerciantes de rua

Foto: Lucas Moura/ Secom

A Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), está intensificando esforços na promoção da cultura da prevenção em saúde, com foco na segurança alimentar e na prevenção de Doenças Veiculadas por Alimentos (DVA). Nesta quinta-feira (28), mais uma ação educativa foi realizada, desta vez voltada para os comerciantes de rua, especificamente os barraqueiros que atuarão no Carnaval do próximo ano.

Durante a tarde, os comerciantes tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas e receber orientações sobre os cuidados sanitários que devem ser rigorosamente adotados na comercialização de alimentos em via pública. As temáticas abordadas incluíram regras para o acondicionamento de alimentos, prevenção da contaminação cruzada, temperatura adequada para a conservação dos produtos, cuidados no preparo de bebidas, higiene e saúde dos manipuladores de alimentos.

Ao todo, 327 comerciantes já foram qualificados em boas práticas de manipulação de alimentos desde o início das capacitações em julho. Essas iniciativas visam promover a segurança alimentar, garantindo que os produtos vendidos nas ruas da cidade atendam aos mais elevados padrões de qualidade e segurança.

Gilmara Sodré, gerente de Vigilância e Segurança dos Alimentos, destacou a importância dessas capacitações. “Iniciamos essas capacitações em boas práticas para manipulação de alimentos no mês de julho, esses encontros são importantes, tendo em vista a necessidade de falar sobre as regras de comercialização segura dos alimentos, esclarecer algumas dúvidas que eles têm, e falar de como é o trabalho da Vigilância Sanitária junto ao comércio de rua”, disse.

“Hoje nós abordamos sobre os cuidados que os barraqueiros e barraqueiras devem adotar para a comercialização segura de alimentos, que vai desde o preparo do alimento que eles fazem em suas residências, o armazenamento e o transporte para comercializar na rua”, acrescentou Gilmara.

Mas o impacto dessas ações vai além das orientações técnicas. Telma da Silva Lima, de 65 anos, barraqueira que trabalha na Praça da Sé, enfatizou a mudança que essas iniciativas trouxeram para os comerciantes. “Antes, quando a Vigilância Sanitária chegava, o pessoal saía correndo para não encarar, e, depois desses cursos e palestras, os barraqueiros ficam, porque eles aprenderam como trabalhar da forma correta”, lembrou.

Para ela, as capacitações são fundamentais para garantir a segurança. “Hoje a gente agradece quando a vigilância vem, pela questão da segurança e porque agora nós damos confiança aos clientes. Se a gente tem o certificado da Vigilância Sanitária, os clientes sabem que estamos fazendo da forma correta”, completou a comerciante.

Railda Nascimento de Carvalho, 61 anos, barraqueira há 40 anos e presidente da Associação de Barraqueiros de Festas Populares, ressaltou o valor das capacitações gratuitas oferecidas pela Vigilância Sanitária. “Essa palestra é excepcional para nós que não temos a oportunidade de estar pagando os cursos. A Vigilância Sanitária sempre foi nossa parceira por dar esses cursos gratuitos para a gente. A gente não teria como pagar. E, com essas inovações que a Prefeitura está fazendo, a Vigilância Sanitária na vida da gente é importantíssima”, destacou.

“Porque agora a gente sabe como se adequar na rua, nós trabalhamos com o público que vem de suas casas, então temos que ter uma garantia que nossos alimentos estão sendo bem cuidados, e com o certificado que dão para a gente tem tido destaque para trabalhar”, concluiu.