Data de Hoje
19 January 2022
Foto: CLick Notícias

Presidente Léo Prates chama polícia para expulsar manifestantes que protestam contra projeto Revitalizar na CMS

O presidente da Câmara Municipal de Salvador, Léo Prates (DEM), se exaltou com a manifestação de pessoas contrárias ao projeto Revitalizar, enviado ao Legislativo, e mostrou despreparo como líder da Casa na tarde desta quarta-feira (26). Para quem estava esperando a ‘prova de fogo’ e a força da liderança do prefeito ACM Neto, se decepcionou. O negócio esquentou e Prates ameaçou expulsar os manifestantes da galeria após a confusão que se formou pelo fato deles não terem sido ouvidos pelo presidente.

Prates se  defendeu, mas nenhum dos seus se manifestou a favor do democrata. “Temos que respeitar a democracia. Não vou permitir desrespeito a vereadores nem vou permitir que vereadores desrespeitem ninguém aqui. Não tenho medo de vaia”, disparou. Em seguida, ele pediu a ajuda de policiais militares para acompanharem os ocupantes da galeria.

Assista ao vídeo do protesto:

Enquanto o vereador José Trindade (PSL) discursava no púlpito, discordando do projeto, os manifestantes presentes na galeria citavam o nome do prefeito delatado nas investigações da Odebrecht, relacionando o suposto envolvimentos com a corrupção.

A vereadora Aladilce Souza (PCdoB), aponta como ‘inconstitucional’ o Projeto Revitalizar. “Vocês conhecem alguém que o prefeito chamou para conversar sobre o projeto? O primeiro crime que se faz é esse: o prefeito não chamou um comerciante. A época do velho, do avô dele passou, conquistamos a democracia”, disse.

No entanto, a edil questiona o fato de que as isenções fiscais não podem estar no mesmo projeto de urbanização, o que tornaria o projeto inconstitucional. De acordo com a edil, a urgência do prefeito em aprovar projetos de seu interesse acaba colocando Salvador em uma situação de insegurança jurídica. “Somente nesse ano, tivemos um grande acordo e um posicionamento do Tribunal de Justiça da Bahia declarando inconstitucional o aumento do IPTU de 2013 e a cobrança antecipada do ITIV, além do aumento da tarifa de ônibus em 2017, questionado pelo Ministério Público Estadual”, declarou a vereadora.

Na proposta encaminhada pela prefeitura está uma série de benefícios fiscais para proprietários que adquirirem ou reformarem imóveis em áreas como o Centro Histórico, Santo Antônio, Comércio, Saúde, Nazaré, Tororó, Barris, Barbalho, Lapinha e parte da Liberdade.

A vereadora ainda cita que ACM Neto está revivendo o estilo do avô. “Autoritarismo sem discutir com a população. Salvador é a campeã em desemprego, se comparada com qualquer capital, perdemos”, disse.

A vereadora cobra diálogo com os moradores e comerciantes. “Esse é o pior projeto de intervenção urbana que já chegou na Casa”, ressaltou.

Citado pela edil como um projeto ‘elitista’, Aladilce acredita que esta é uma tentativa de tirar o pobre da cultura local para beneficiar maiores empresários. “Esse prefeito está pensando que está na época do império? ”, questionou.

A vereadora também criticou o prefeito ACM Neto pelas isenções fiscais concedidas sem garantia de contrapartida. “O prefeito, mesmo com baixa arrecadação, quer dar de presente para os grandes proprietários da região o perdão de dívidas e isenção de imposto. Ele deveria executar a cobrança e utilizar o recurso para implementar um projeto de reestruturação do Centro, inclusive com um plano de habitação popular”, sugeriu a vereadora.

O vereador Hilton Coelho (PSOL) se exaltou com as propostas do projeto que afetam diretamente a população do Centro Histórico e declarou: “Por que ACM Neto não tira essa desgraça de projeto? ”.

Todos da oposição e moradores do Centro Histórico presentes estão insatisfeitos com o projeto e pedem que não seja votado.

 

Facebook Comments