Data de Hoje
12 June 2021
BRAZIP

Profissionais de comunicação lutam pela ampliação da vacinação da categoria

A vacinação de jornalistas e radialistas, com idade igual ou superior a 40 anos, prossegue nesta quarta-feira (9) em Salvador. Para ser beneficiado com a primeira dose, o profissional deve estar em pleno exercício da atividade e com o nome cadastrados no site da Secretaria Municipal de Saude (SMS), além de atuar na capital baiana (confira aqui).

Apesar de considerarem a inclusão nos grupos prioritários uma vitória, a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e os sindicatos que representam os trabalhadores da comunicação em todo o Brasil querem a ampliação de vacinação para a categoria. Assim, as entidades promovem, nesta quarta-feira (9), o Dia Nacional de Luta pela Vacinação dos Jornalistas.

O objetivo é reforçar as ações pela inclusão dos profissionais da mídia entre os grupos prioritários de imunização contra a Covid-19, uma vez que estes trabalhadores estão na linha de frente, cobrindo a pandemia.

O Dia Nacional de Luta pela Vacinação pretende ampliar o total de assinaturas no manifesto nacional pela imunização. A mobilização acontece presencialmente e nas redes sociais (confira os horários abaixo).

Redes sociais

A Fenaj convoca os trabalhadores para que vistam azul nestaa quarta, postem as fotos em suas redes e marquem a Federação, os sindicatos e o Ministério da Saúde, responsável por definir as categorias prioritárias para a vacinação, com as hashtags #VacinaAImprensa #VacinaParaJornalistas #VacinaJá.

A partir das 10h de quarta, inicia-se o tuitaço e instagramaço da categoria, com o objetivo de chamar a atenção da população em geral para a necessidade de vacinação dos trabalhadores da mídia. Também foi disponibilizado um avatar pedindo a vacinação dos jornalistas.

Ações em várias frentes

A Fenaj e os Sindicatos filiados estão realizando diversas ações para vacinar os jornalistas, cujos serviços foram considerados essenciais desde o primeiro decreto federal sobre a pandemia.

As entidades sindicais também vêm realizando diálogos com os governos estaduais, as prefeituras municipais, deputados estaduais e federais para tentar a inclusão dos jornalistas no Plano Nacional de Imunização (PNI) a partir de gestões desses entes políticos junto ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Alguns estados – Maranhão, Bahia e Mato Grosso – já autorizaram a inclusão dos jornalistas da linha de frente nos grupos prioritários, mas a decisão enfrenta resistência do Ministério da Saúde e, em alguns casos, do Ministério Público e da Justiça.

“Diante da situação, queremos mobilizar não só as e os jornalistas, mas toda a sociedade, uma vez que são os profissionais da mídia que estão mantendo a população informada sobre a pandemia, suas consequências sociais e econômicas, as medidas sanitárias e a vacinação”, afirma a presidenta da Fenaj, Maria José Braga.

Conforme o último relatório divulgado pelo Departamento de Saúde e Previdência da Federação, o novo coronavírus já matou 224 jornalistas, desde o começo da pandemia.

Segundo outras fontes, a Covid-19 mata mais de um jornalista por dia na América Latina, região onde a pandemia é mais fatal para a imprensa. O Brasil é o segundo nesse ranking, atrás apenas apenas do Peru.

Atividades para o Dia Nacional de Luta pela Vacinação dos Jornalistas

7h30 – Manifestações em frente às secretarias estaduais de Saúde (cartazes e faixas com a reivindicação e frases com justificativas, que também podem ser espalhadas por outras localidades).

8h às 12h – Carros de som circulando em áreas estratégicas.

10h – Twitaço/instagramaço.

14h – Pressão nas redes sociais do Ministério da Saúde, dos governos estaduais, secretários e parlamentares.

19h – Live transmitida pela Fenaj e pelos sindicatos em rede.

 

Muita Informação

Facebook Comments