Data de Hoje
25 February 2021

Protestos de agentes comunitários e de moradores da Barra marcam sessão na Câmara Municipal

Sessão acabou pouco mais de 30 minutos após o início, com apenas a oposição permanecendo no plenário.

A tarde de segunda-feira (13) foi pouco produtiva para os vereadores na Câmara Municipal de Salvador. Reivindicações e discussões exaltadas marcaram a sessão que durou pouco menos de uma hora e pouco avançou nas discussões pendentes.

IMG_20150713_151341516-e1436823550690

Esperava-se que temas como a cobrança nos estacionamentos dos shoppings e o repasse do aumento salarial dos agentes comunitários e agentes de endemias, representados pelo SINDACS-BA, que estão em greve desde o dia 16 do mês passado e continuam a ocupar a câmara municipal desde a ultima semana.

Também estava prevista para ser ouvida em sessão a representante da Associação de moradores e amigos da Barra (AMABARRA), Regina Martinelli Serra, que pretendia falar sobre os problemas que o bairro enfrenta após as obras de revitalização. Ela permaneceu na bancada durante mais de dez minutos, esperando o direito de fala, que não foi respeitado.

IMG_20150713_152752349

Os ânimos começaram a se exaltar quando o vereador Gilmar Santiago (PT) repercutiu a recente declaração do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) de que membros da plenária estariam sendo assediados pelo banqueiro “Marcos Mariano”, por conta de realizações de obras na barra do empreendimento Le Vue e exigiu que Geddel venha a público esclarecer o quem seriam os vereadores que estariam sendo chantageados, segundo o ex-ministro.

Minutos depois, o vereador Arnando Lessa chamou atenção para o crescente esvaziamento da plenária. Disse que era lamentável “que assessores de vereador estarem puxando vereadores pelo braço para sair do plenário”.  “Esse não é papel de vereador”, enfatizou. em poucos minutos, a somente a bancada da oposição permanecia ocupada. Esta, enfatizou o apoio ao grupo presente e suas reivindicações. Durante todo o período as discussões se misturavam as palavras de ordem lançadas pelos manifestantes da SINDACS, que permaneceram até o fim.

Facebook Comments