Data de Hoje
16 June 2021

PSOL condena Rui por privatização da EBAL

Para Marcos Mendes, Presidente Estadual do PSOL na Bahia, há fortes indícios que tanto os governos de Paulo Souto e Wagner transformaram a EBAL em cabide de emprego e, mesmo ocupando a posição de maior rede supermercadista do Estado, o atual Governador, Rui Costa, decretou a venda da empresa pública. Não entendemos como uma empresa tão grande, rentável, cujo maior atributo é prestar um relevante serviço social de venda de alimentos com preço justo, será entregue às grandes redes supermercadistas que oprimem a população com seus preços extorsivos. Mas uma vez a população irá pagar a conta da incompetência de Gestão, pois o Governo dos Trabalhadores deve demitir 2,6 mil servidores.

“Não podemos esquecer que as irregularidades existentes nas atividades da EBAL, no período 2002-2006, em que Omar Antônio de Britto, indicação de Otto Alencar, era o Presidente, provocaram um prejuízo de pelo menos R$ 620 milhões ao Estado, que hoje chega a mais de R$ um bilhão, e levaram o Ministério Público Estadual a propor seis ações civis públicas por Improbidade Administrativa. Dentre as irregularidades listadas estão: o mau uso de verbas na propaganda; na manutenção predial e informática; fraudes em licitações; superfaturamento de preços; falta de notas fiscais; pagamentos sem comprovação de serviços; indícios de enriquecimento ilícito de alguns dirigentes, empregados e terceiros contratados para execução de obras e serviços; sonegação fiscal e por aí vai. No emaranhado do suposto esquema, os destaques são a Organização do Auxílio Fraterno (OAF) e a Comtec Informática. A primeira, uma entidade de assistência às crianças e adolescentes, de conceito internacional, e cujo titular, Pe. Clodoveo Piazza, hoje vive em Moçambique”, relembra Mendes.

Fonte: Notícia Livre
Facebook Comments